Está aqui

GUE/NGL: É preciso implementar compromissos assumidos na negociação do Brexit

A presidente do Grupo da Esquerda Unitária/Esquerda Verde Nórdica, do qual fazem parte o Bloco e o PCP, frisa que, numa segunda fase, “há uma grande necessidade de esclarecimento e negociação” e que “os direitos dos cidadãos da UE e o impacto do Brexit na ilha da Irlanda estão em primeiro plano”.
Foto de OLIVIER HOSLET, EPA.

"Com as suas posições comuns sobre as negociações do Brexit, o Parlamento Europeu defendeu os direitos dos cidadãos na UE e na Grã-Bretanha, bem como o povo do norte da Irlanda”, sublinha Gabi Zimmer em comunicado.

A presidente do GUE/NGL lembra que “o Conselho avaliará politicamente na próxima semana se o progresso alcançado é suficiente para avançar para a segunda fase das negociações do Brexit”, e assinala que recomendará aos membros do seu grupo “que apoiem a resolução conjunta na próxima sessão plenária".

"Na segunda fase, há uma grande necessidade de esclarecimento e negociação. Para nós, os direitos dos cidadãos da UE e o impacto do Brexit na ilha da Irlanda ainda estão em primeiro plano”, avança Zimmer, salientando que “os negociadores têm de implementar efetivamente os compromissos agora assumidos”.


Ler também: Negociações do Brexit passam à próxima fase

“Os cidadãos devem poder recorrer individualmente aos tribunais para reivindicar os seus direitos. Do nosso ponto de vista, os direitos dos cidadãos incluem todos os direitos sociais e laborais", acrescenta.

Segundo Gabi Zimmer, “o procedimento para garantir o ‘estatuto estabelecido’ para os cidadãos da UE no Reino Unido deve ser justo, simples e transparente”, sendo que “os encargos do Brexit não devem cair apenas sobre os ombros dos cidadãos".

"Não deve haver fronteira física entre o norte e o sul da Irlanda, como prometido em maio. Agora cabe ao governo britânico encontrar uma solução que proteja o Acordo de Sexta-feira Santa em todos os seus componentes”, remata.

Termos relacionados Brexit, Internacional
(...)