Está aqui

Greves na CP e na Infraestruturas de Portugal

Lutando por aumentos de salários, os trabalhadores da IP iniciam esta quarta-feira uma greve parcial das 10h às 12h e das 17h às 19h. Estas paralisações diárias prolongam-se até oito de agosto. A partir de um de agosto tem início uma greve ao trabalho extraordinário na CP e na IP.
Trabalhadores da IP iniciam esta quarta-feira uma greve parcial de 4 horas por dia até 8 de agosto – Foto da CGTP
Trabalhadores da IP iniciam esta quarta-feira uma greve parcial de 4 horas por dia até 8 de agosto – Foto da CGTP

Greves parciais diárias na IP

Os trabalhadores da Infraestruturas de Portugal (IP) iniciam esta quarta-feira, 28 de julho, uma greve parcial de quatro horas diárias, das 10h às 12h e das 17h às 19h, que durará até ao dia 8 de agosto. Simultaneamente, estes trabalhadores estarão em greve ao trabalho extraordinário até 15 de setembro.

Os trabalhadores da IP lutam por aumentos salariais e por melhores condições de trabalho e as paralisações são convocadas por uma plataforma de sindicatos, composta por: Associação Sindical das Chefias Intermédias de Exploração Ferroviária (ASCEF), Sindicato Nacional dos Transportes, Comunicações e Obras Públicas (FENTECOP), Sindicato Independente Nacional dos Ferroviários (SINFB), Sindicato Nacional Democrático da Ferrovia (SINDEFER), Sindicato Independente dos Trabalhadores Ferroviários, das Infraestruturas e Afins (SINFA), Sindicato Independente dos Operacionais Ferroviários e Afins (SIOFA) e Sindicato dos Transportes Ferroviários (STF)

António Salvado, dirigente do SINFA, declarou à Lusa que sindicato e representantes da IP e da tutela reuniram na passada segunda-feira. "Estivemos reunidos durante três horas e meia, mas não chegamos a acordo em nenhuma matéria por isso vamos avançar com a greve", disse. O sindicalista acrescentou que a greve deverá afetar a circulação de comboios de longo curso e regionais.

A Lusa refere ainda que os trabalhadores da IP e das suas participadas (IP Engenharia, IP Património e IP Telecom) reivindicam aumentos salariais, atualização do valor do subsídio de refeição e integração do Abono de Irregularidade de Horário na retribuição, melhoria das condições higiene e segurança. Exigem ainda o respeito negociação coletiva, o cumprimento integral do Acordo Coletivo de Trabalho e a contratação de trabalhadores.

CP prevê perturbações nos comboios até 15 de setembro

Entretanto, o Sindicato Nacional dos Trabalhadores do Sector Ferroviário (SNTSF) convocou uma greve ao trabalho extraordinário dos trabalhadores da CP, da IP e empresas filiadas (IP Telecom, IP Património e IP Engenharia), a partir de 1 de agosto. Esta greve visa também aumentos salariais.

A CP – Comboios de Portugal anunciou que prevê perturbações na circulação de comboios a partir de 28 de julho e até 15 de setembro, devido a “greves na CP – Comboios de Portugal e IP – Infraestruturas de Portugal, convocadas por diversas organizações sindicais”.

Termos relacionados Sociedade
(...)