Está aqui

Greve nos call centers da Meo e Nos

“Trabalho qualificado não pode ser pago com salário mínimo”, dizem os trabalhadores de várias empresas ao serviço dos gigantes das telecomunicações que paralisam esta terça (Meo) e quinta-feira (Nos).
Sinttav convoca greve nos call centers, backoffice e lojas da Meo e Nos esta semana. Foto CGTP.

A greve é convocada pelo Sinttav e abrange os trabalhadores das empresas Manpower, Randstad, Egor, RHmais e Multitempo que trabalham em call centers, backoffice e lojas da Meo e da Nos.

A paralisação desta semana tem lugar no dia 19 para os trabalhadores ao serviço da Meo e há concentração marcada para as 10h30 junto ao Contact Center da Meo Altice em Santo Tirso. No dia 21 é a vez dos trabalhadores ao serviço da Nos fazerem greve, também com concentração às 10h30 junto ao edifício da Nos em Campanhã, no Porto.

“No sector de telecomunicações, trabalhar num serviço de Call Center, Back Office ou loja, em contacto permanente com o público, é um trabalho desgastante, exige formação contínua, capacidade de desenvolvimento de tarefas de grande responsabilidade que não pode ser pago com o salário mínimo nacional, como se tratasse de trabalhadores não qualificados”, afirma o Sinttav, recordando que “o período da crise e das troikas já passou”.

“Estamos em 2019, a economia cresce e as empresas a terem mais lucros, onde está a parte dos trabalhadores?”, questiona o sindicato, apontando as notícias que dão conta de que a faturação dos call centers triplicou mas os salários baixaram.

 

Termos relacionados Sociedade
(...)