Está aqui

Governo grego anuncia união de facto para pessoas do mesmo sexo

Como parte do programa de mudança do recém-empossado governo grego, o ministro da Justiça Nikolaos Paraskevopoulos, anunciou esta segunda-feira no Parlamento a intenção do executivo em alargar a união de facto a casais do mesmo sexo.
Foto: Athens Pride 2013.

A união de facto foi aprovada em 2008, mas só para casais heterossexuais.

Desde então, ativistas LGBT lutam para pôr termo a esta discriminação na Grécia; um país marcado por uma presença forte da igreja ortodoxa.

Em novembro de 2013, o Tribunal Europeu dos Direitos Humanos considerou que a legislação helénica é discriminatória. O anterior ministério da Justiça desdobrou-se em declarações sobre a alteração da lei, mas para lá das promessas, manteve-se a desigualdade, que o novo governo grego pretende eliminar.

Apesar de o objetivo último dos ativistas LGBT ser a legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo, este anúncio está a ser visto como um passo na direção correta.

Giannis Papagianopoulos, editor da revista LGBT Anti-virus considera que “o anúncio de hoje é muito bom. Não temos qualquer estimativa de quando é que as mudanças ocorrerão, uma vez que acaba de ser anunciado, mas a receção na comunidade LGBT, até agora, é de entusiasmado. Nós também estamos muito otimistas em relação às questões de género”, acrescentou.

Marianella Kloka, da associação humanitária Mundo sem Guerras e sem Violência disse que "já estava na hora. Direitos humanos e civis devem ser respeitados. Todos eles juntos. Alguns dizem, por quê falar de cidadania e não de contrato civil, para as pessoas LGBT? Bem, ambos! E ainda mais deve ser acrescentado à agenda. Como sociedade civil, vamos apelar a todos os governos, principalmente a este, no sentido de ampliar a proteção dos direitos humanos”.

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Internacional
(...)