Está aqui

Governo grego abandona promessas eleitorais

Em vez da prometida renegociação, aprovou novas medidas de austeridade para cortar mais 11,5 mil milhões de euros, montante exigindo pelos credores internacionais. Deputado da direita denuncia e é expulso. Syriza diz que é o enterro da economia grega.
Antonis Samaras: em vez da renegociação, mais sacrifícios. Foto de European People's Party - EPP

O deputado Nikos Nikolopoulos, da Nova Democracia, o partido do primeiro ministro Antonis Samaras, foi expulso do grupo parlamentar do seu partido depois de ter manifestado no Twitter discordâncias com a política do governo presidido pelo seu próprio partido.

“Está claro o beco sem saída estratégico. A bandeira da renegociação era um sonho. Esquecemo-la. Que pode esperar da troika um povo que está nos limites? Indulgência ou punição?” – escreveu o deputado num dos twits. E completou mais tarde: “Uma recessão para o Guinness Book of Records. O nosso país teve mais anos consecutivos de recessão que qualquer outro país do mundo. Esta terra não pode aguentar mais.”

O deputado da direita disse que é preciso que as bases do partido se pronunciem sobre a óbvia mudança de política em relação ao memorando da troika. Durante a campanha, a Nova Democracia defendeu que o próximo governo deveria renegociar o memorando, mas logo que assumiu o gabinete nunca mais falou no assunto. Pelo contrário, o governo, do qual participam também o Pasok e a Esquerda Democrática, decidiu na quinta-feira adotar novas medidas de austeridade envolvendo mais cortes no valor global de 11,5 mil milhões de euros, montante exigindo pelos credores internacionais.

Um dia antes, o Parlamento grego aprovara uma lei permitindo ao governo fechar dezenas de universidades para poupar dinheiro. Os três partidos da coligação garantiram a aprovação, mas o Pasok teve vários dissidentes que votaram contra, entre os quais o próprio ex-primeiro-ministro George Papandreou.

A primeira ronda das negociações com a troika realiza-se este domingo. A troika exige que esses novos cortes orçamentais sejam concretizados para desbloquear uma 'tranche' de 31,5 mil milhões de euros, referente ao segundo plano de resgate.

Tsipras diz que medidas são enterro da economia

“Acabou abruptamente a representação teatral 'populista' dos três partidos do governo”, denunciou Alexis Tsipras, do Syriza. “Juntos, acabaram com as ilusões de que iriam renegociar o memorando e honrar os compromissos eleitorais”, prosseguiu.

Para o líder do Syriza, as novas medidas significam o enterro da economia grega, mas também o carimbo no passaporte para a saída do euro.

“Faremos tudo o que estiver ao nosso alcance, dentro e fora do Parlamento, principalmente realizando alianças com organizações sociais e sindicatos, para evitar o desastre.”, disse ainda Tsipras, concluindo: “O triunvirato do dracma é responsável pela desintegração do país. Nós assumimos a responsabilidade pela regeneração e pela reconstrução.”

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Internacional
(...)