Está aqui

Garraiada na ESAV de Viseu foi cancelada

A Garraiada organizada pela Associação de Estudantes da Escola Superior Agrária de Viseu não foi autorizada pela direção do estabelecimento de ensino. Há um ano, o Bloco e a Viseu Animal Save organizaram uma vigília contra a iniciativa, que mobilizou várias pessoas.
Em 2018, o Bloco e a Viseu Animal Save organizaram uma vigília contra a garraiada. Foto de Viseu Animal Save.

Num comunicado datado de 9 de maio, a Associação de Estudantes da Escola Superior Agrária de Viseu (AEESAV) informa que, no presente ano, não se irá realizar a Monumental Garraiada, face ao “parecer negativo” que a iniciativa recebeu por parte da direção da Escola Superior Agrária, que alega “não estarem reunidas as condições de segurança necessárias” para a sua realização.

A AEESAV refere que a sua direção “irá apresentar um plano alternativo o mais breve possível”.

Há um ano, o Bloco e a Viseu Animal Save organizaram uma vigília contra a garraiada, com o apoio da Juventude Socialista, Porto Animal Save, Braga Animal Save, VeganHood, Acção Directa Norte de Portugal e Acção Directa Lisboa.

Em comunicado, os organizadores da vigília afirmavam que “a garraiada é uma prática que inclui apenas tortura, sofrimento e exploração animal” e sublinhavam que “é muito claro que todo e qualquer tipo de actividades tauromáquicas tem vindo a perder adeptos em todo o mundo e Portugal não é excepção”.


Ler também: Jornalistas ameaçados por defensores de garraiada na ESAV de Viseu


“Existem apenas 8 países no mundo onde estas actividades ainda acontecem e não faz sentido o nosso país ainda ser um deles”, lia-se no documento.

Termos relacionados Sociedade
(...)