Está aqui

Falta de médicos e enfermeiros pode parar helicóptero do INEM

Segundo a Associação Portuguesa de Médicos de Emergência (APME), alguns médicos já manifestaram intenção de não trabalharem no helicóptero de Santa Comba Dão.
Falta de médicos e enfermeiros pode parar helicóptero do INEM

Segundo Vítor Almeida, da Associação Portuguesa de Médicos de Emergência (APME), alguns médicos já manifestaram intenção de não trabalharem no helicóptero do INEM em Santa Comba Dão em Agosto, associando-se aos enfermeiros que na terça feira, através do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP), anunciaram que "grande parte" da equipa de enfermagem deste helicóptero vai estar indisponível para assegurar os turnos a partir de domingo.

Tal situação decorre do facto das as escalas de voo serem preenchidas voluntariamente e alguns dos 30 clínicos, que normalmente asseguram este meio, já não o fizeram para o próximo mês. Segundo Pedro Frias, da direcção nacional do SEP, a posição destes enfermeiros deve-se à “ausência de pagamento desde há cinco meses” e à “perda de regalias”, nomeadamente o não pagamento do subsídio de deslocação. Frias afirmou ainda que que as dificuldades também são sentidas pelos médicos que “não recebem desde Abril”, estando igualmente por pagar ajudas de custo e de deslocação.

Segundo informação prestada pela APME à Lusa, o secretário de Estado Adjunto e da Saúde comprometeu-se a recebe na segunda feira a equipa do helicóptero do INEM em Santa Comba Dão, informação não confirmada pelo Ministério da Saúde. Já o INEM limitou-se a afirmar que “o helicóptero de Santa Comba Dão está e estará operacional”.

Termos relacionados Política
(...)