Está aqui

Eurodeputados condenam assalto a Palmira, mas chumbam moratória à venda de armas

Os eurodeputados aprovaram a emenda proposta por Marisa Matias para reforço da ajuda alimentar aos refugiados sírios, mas chumbaram a que propunha uma moratória ao financiamento e venda de armas às partes do conflito, bem como à compra de petróleo dos poços controlados pelo Estado Islâmico.
Marisa Matias não recuou na defesa da moratória à venda de armas e compra de petróleo ao Estado Islâmico, mas o PE chumbou a proposta

A resolução aprovada com a abstenção de todos os deputados do GUE/NGL (o grupo que integra Bloco e PCP em Estrasburgo) “condena firmemente as terríveis violações, sistemáticas e generalizadas, dos direitos humanos e as violações do direito internacional humanitário cometidas pelo regime de al‑Assad, pelos terroristas do EIIL/Daesh e outros grupos jiadistas na Síria”, bem como a prisão e tortura de ativistas e jornalistas como Mazen Darwish, que ganhou o prémio da UNESCO para a liberdade de imprensa em 2015.

A resolução condena ainda “o assalto sangrento” do Estado Islâmico à cidade histórica de Palmira, que alberga tesouros culturais da Humanidade, agora ameaçados de destruição. E apela à cessação das hostilidades e àbertura de um corredor humanitário que permita a passagem dos refugiados que fogem à violência.

O motivo da abstenção do GUE/NGL prende-se com a inexistência de uma posição firme do Parlamento Europeu de condenação à venda de armas e ao financiamento dos grupos armados que intervêm na guerra na Síria, bem como à compra de petróleo oriundo das zonas controladas pelo Estado Islâmico. A emenda apresentada por Marisa Matias nesse sentido foi chumbada por 362 votos, obtendo o apoio de 244 eurodeputados.

O motivo da abstenção do GUE/NGL prende-se com a inexistência de uma posição firme do Parlamento Europeu de condenação à venda de armas e ao financiamento dos grupos armados que intervêm na guerra na Síria, bem como à compra de petróleo oriundo das zonas controladas pelo Estado Islâmico. A emenda apresentada por Marisa Matias nesse sentido foi chumbada por 362 votos, obtendo o apoio de 244 eurodeputados.

A outra emenda apresentada por Marisa Matias, que alertava para a falta de financiamento que levou à suspensão do Programa Alimentar Mundial das Nações Unidas para os refugiados sírios, apelando à comunidade internacional para apoiar financeiramente essa ajuda alimentar, foi aprovada com 348 votos a favor.

Esta semana, Marisa Matias recebeu uma delegação de representantes da população yazidi, do norte do Iraque, que tem estado a ser vítima de massacres por parte do Daesh (Estado Islâmico). 

Palmira (Síria): são as armas e o petróleo - Marisa Matias 2015.06.11

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Internacional
Comentários (3)