Está aqui

Eurodeputado do Fidesz demite-se após ser apanhado em orgia

Sjázer foi apanhado a fugir de uma festa ilegal em Bruxelas, onde acontecia uma orgia com a participação de vários diplomatas. Eurodeputado é abertamente contra os direitos LGBT e fundador do partido ultraconservador Fidesz.
József Szájer
József Szájer - Foto de EPP Group | Flickr

O eurodeputado József Szájer, do partido húngaro Fidesz, também do primeiro-ministro Victor Orbán, foi apanhado quando tentava fugir de uma festa ilegal. Quando o caso se tornou público, pediu a sua demissão do Parlamento Europeu (PE), argumentando cansaço da política e dando a garantia que esta decisão não estava ligada com o debate do fundo de recuperação da União Europeia.

De acordo com o jornal Público, o eurodeputado, um dos fundadores do Fidesz, já admitiu ter estado na festa ilegal que os media e a polícia descreveu como “uma orgia” participada por diplomatas, “na sua maioria homens”, e onde foram encontradas drogas.

Em comunicado, Szájer afirma que “as notícias na imprensa belga referem uma festa privada em Bruxelas na sexta-feira (27 de novembro). Eu estava presente. Depois de a polícia me pedir a identificação - já que não tinha bilhete de identidade comigo - declarei que sou membro do PE”.

A polícia diz ter encontrado drogas na mochila de Szájer. O eurodeputado acrescenta que “não usei drogas. Ofereci-me para fazer uma teste rápido mas eles não quiseram. De acordo com a polícia foram encontradas pastilhas de ecstasy, mas não são minhas nem sei que as colocou nem como”.

As autoridades deslocaram-se ao local após uma denúncia de barulho e festa ilegal numa altura em que existem regras devido à pandemia da covid-19, que incluem um recolher obrigatório entre as 22h e as 6h e a proibição de encontros sociais em espaços fechados.

Segundo o jornal flamengo “Het Nieuwsblad”, a festa decorria no primeiro andar de um bar gay em Bruxelas, na Rue des Pierres, perto de uma esquadra da polícia e onde foram encontradas “25 pessoas, quase todas nuas, envolvidas numa orgia”. O eurodeputado Sjázer “terá tentado escapar por uma calha” e “uma vez detido, invocou a sua imunidade”.

József Sjázer, para além de eurodeputado, é fundador do Fidesz, o partido que governa a Hungria com o primeiro-ministro Orbán. Opõe-se publicamente a igualdade de direitos LGBT e tem insistido na proibição da adoção de casais homossexuais. Foi inclusive o autor da Constituição de 2011, onde é referido que “a Hungria protegerá a instituição do casamento como união de um homem e de uma mulher”.

Termos relacionados Internacional
(...)