Está aqui

EUA preparam-se para aumentar produção de petróleo e gás em 25%

De acordo com o grupo de direitos humanos e ambientais Global Witness, os Estados Unidos irão brevemente tornar-se nos principais responsáveis pela "iminente bomba-relógio de carbono". Na próxima década, a menos que a sua trajetória mude, 61% da nova produção global virá dos EUA.
O cenário projetado no estudo apresentado esta semana pela Global Witness, que se baseia em dados da Rystad Energy, revela que os EUA planeiam aumentar a produção de petróleo e gás em 25%.

"A escala da nova previsão da produção dos EUA é impressionante", vincou Murray Worthy, ativista sénior da Global Witness, em comunicado. "Nenhum outro país chega sequer perto", acrescentou.

O cenário projetado no estudo apresentado esta semana pela Global Witness, que se baseia em dados da Rystad Energy, revela que o país planeia aumentar a produção de petróleo e gás em 25%.

O grupo de direitos humanos e ambientais sinaliza que, durante o período de 2020-2029, sete dos 10 maiores produtores de petróleo e gás deverão ser estados dos EUA, com o Texas projetado para produzir mais de um quarto de toda a nova produção.

Juntos, o Texas, a Pensilvânia, o Novo México, o Dakota do Norte e o Oklahoma passarão a representar, nesta projeção, 75% de toda a produção dos EUA ao longo do tempo.

A Global Witness alerta para a emergência de implementar um plano de ação para uma trajetória energética diferente, que deve incluir duas etapas-chave: acabar com os subsídios aos combustíveis fósseis e restringir a influência política da indústria de combustíveis fósseis.

"O próximo presidente dos EUA precisa de ter um plano confiável para enfrentar as alterações climáticas", afirma a organização não-governamental, destacando que “qualquer plano credível para combater a mudança climática tem que impedir que os EUA afoguem o mundo em petróleo".

Termos relacionados Ambiente
(...)