Está aqui

“Este não é o projeto de país que Hugo Chávez propôs”, afirma Procuradora Geral da Venezuela

Luisa Ortega Diaz, Procuradora Geral da Venezuela não reconhece a Constituinte, mantém-se à frente do Ministério Público e acusa: “sob um falso discurso antiimperialista, defraudaram a Venezuela”.
Luisa Ortega Diaz acusa: “sob um falso discurso antiimperialista, defraudaram a Venezuela”
Luisa Ortega Diaz acusa: “sob um falso discurso antiimperialista, defraudaram a Venezuela”

“Dirijo-me ao país na minha posição de Procuradora Geral e membro do Conselho Moral Republicano para não reconhecer os supostos resultados desta constituinte presidencial”, afirmou Luisa Ortega Diaz em conferência de imprensa na sede do Ministério Público da Venezuela, sublinhando que não aceita os resultados da Assembleia Nacional Constituinte (ANC), que considerou ilegítima.

Luisa Ortega Diaz denunciou que entre as tarefas da ANC está a demissão da Procuradora Geral, mas para isso “terão que passar por cima da Constituição”, sublinhou. Garantiu também que se manterá vinculada ao artigo 350 da Constituição e à frente do Ministério Público, apesar das ameaças de demissão e considerando que “todos os direitos políticos estão em perigo”

“Estes quatro meses deixaram um saldo de 121 mortos e 1958 feridos. A Venezuela não merece isto” afirmou a Procuradora Geral, salientando que “só neste domingo dez pessoas perderam a vida”.

“Estamos em presença de violações de Direitos Humanos, que não vou tolerar e continuarei a denunciar”, realçou, garantindo que o Ministério Público continuará a investigar casos de corrupção e de violação de direitos humanos e anunciando que ordenou uma investigação sobre crimes contra a humanidade.

“Não nos vão roubar a esperança, a força, a dignidade, a coragem e o valor dos venezuelanos”, concluiu Luisa Ortega Diaz.

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Crise na Venezuela, Internacional
(...)