Está aqui

EDP: Trabalhadores marcam greve para 20 de abril

A greve nacional pretende contestar a proposta da administração para aumentos salariais de apenas 0,2%, numa altura em que a EDP se prepara para distribuir mais de 750 milhões em dividendos.
Imagem via fiequimetal.pt.

Após a realização de plenários de trabalhadores em todo o país, a Federação Intersindical das Indústrias Metalúrgicas, Químicas, Elétricas, Farmacêutica, Celulose, Papel, Gráfica, Imprensa, Energia e Minas (Fiequimetal) emitiu na segunda-feira um pré-aviso de greve para 20 de abril.

"Na reunião negocial de ontem, a administração da EDP apresentou uma proposta de aumento de 0,2% para todos os trabalhadores, realçando que está disponível para fazer uma majoração nas bases remuneratórias mais baixas da tabela salarial. Esta proposta é inaceitável porque está longe do respeito, da dignificação e da valorização que os trabalhadores das empresas do Grupo EDP merecem", disse Joaquim Gervásio, dirigente da Fiequimetal, relata a Agência Lusa.

“Temos desafiado todos os trabalhadores a participarem na greve, independentemente da sua filiação sindical, pois a unidade é muito importante para o resultado desta luta", disse ainda.

A empresa irá fazer distribuição de dividendos no valor de 750 milhões de euros relativos ao ano fiscal de 2020.

A Fiequimetal manteve a sua proposta de aumentos salariais de 90 euros por trabalhador, garantindo maior equidade face aos salários mais baixos praticados na empresa que, com um universo de cerca de 6 mil trabalhadores, tem o salário mais baixo de mil euros. 

A Fiequimetal marcou ainda uma ação de protesto para quarta-feira, à mesma hora da assembleia-geral de acionistas que irá aprovar a distribuição de mais de 750 milhões de euros de dividendos. Uma delegação sindical vai estar junto à sede da EDP, em Lisboa, para dar uma conferência de imprensa.

Termos relacionados Sociedade
(...)