Está aqui

Dirigente da Anafre recrutado por empresa após adjudicar-lhe contratos

Um dirigente da Anafre adjudicou serviços informáticos a uma empresa que depois o contratou com uma avença para apresentar os seus produtos junto das autarquias do distrito.
Anafre
Foto Anafre/Facebook

Segundo a investigação do jornalista José António Cerejo, publicada esta segunda-feira no Público, o autarca Jorge Neves adjudicou em 2015, enquanto vice-presidente da Associação Nacional de Freguesias (Anafre), serviços informáticos no valor total de 366.949 euros à empresa ANO.

Em seguida, este autarca socialista que foi vice-presidente da Câmara e presidente da Junta de Freguesia de Castelo Branco, recebeu uma avença daquela empresa, que totalizou entre janeiro de 2018 e março deste ano 36 mil euros, ou seja, cerca de 10% do valor da adjudicação feita três anos antes.

Em declarações ao Público, Jorge Neves confirma ter recebido uma avença da empresa, mas não revelou o montante auferido por ela, negando os números divulgados pelo jornal. Quando terminou o seu mandato à frente da Junta de Freguesia, o autarca dedicou-se à consultoria, recebendo também em 2018, através de uma empresa criada no dia da emissão da primeira fatura, verbas provenientes da Adraces - uma associação criada pelas câmaras de Castelo Branco, Idanha-a-Nova, Penamacor e Vila Velha de Ródão, também presidida por outro socialista, Joaquim Morão. No entanto, não existe nenhum contrato assinado entre Neves e a Adraces. Segundo o autarca, o trabalho encomendado e pelo qual a Adraces lhe pagou 24 mil euros em 2018, materializou-se num relatório de poucas dezenas de páginas acerca da promoção turística de Castelo Branco, citando outros estudos mais desenvolvidos encomendados pela Câmara nos anos anteriores.

Contactado pelo Público, o presidente da Anafre reagiu à notícia da relação profissional do seu colega de direção com a empresa informática alegando “total desconhecimento e perplexidade” com a situação agora revelada. E informou que a comissão permanente da Anafre avocou a coordenação dos pelouros atribuídos a Jorge Neves na sequência desta notícia. A empresa ANO já tinha sido noticiada a propósito das viagens que pagou a autarcas e técnicos de 16 municípios a Istambul em 2015. O Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) de Coimbra acusou este ano dois autarcas de Penamacor de recebimento de vantagem indevida, mas as mesmas viagens já tinham sido investigadas pelo DIAP de Braga e arquivadas em 2017, noticiou o Público em setembro.

Termos relacionados Sociedade
(...)