Está aqui

Democracia e pós-democracia

Vítor Constâncio, um guardião em fim de carreira desta prisão monetária supranacional de tantas democracias nacionais, declarou: “A Itália sabe as regras. Talvez tenham de as ler de novo”. E o que dirá Centeno? Postado por João Rodrigues em Ladrões de Bicicletas.
Ativista Josephine Witt protesta contra a ditadura do BCE, 15 de abril de 2015
Ativista Josephine Witt protesta contra a ditadura do BCE, 15 de abril de 2015

Enfim, os guardiães, e o capital financeiro que está por detrás deles, definem as regras, mas também, e sobretudo, as suas excepções, como é inegável. Entretanto, talvez a Itália não seja a Grécia.

Não tenho simpatia política pela variante italiana dos populismos, que floresceram nas ruínas da chamada esquerda europeísta, mas devo dizer que tenho ainda menos por ordens supranacionais pós-democráticas, conformes à expansão das forças de mercado, e pelos seus intérpretes internos. Estas ordens destinam-se a bloquear a manifestação da vontade democrática do povo.

E, em última instância, mais vale um eventual erro do povo de um Estado do que a melhor decisão tomada pelos guardiães em Frankfurt ou em Bruxelas, até porque nós sabemos quais são os interesses e os valores que as suas melhores decisões servem.

Postado por João Rodrigues em Ladrões de Bicicletas, a 29 de maio de 2018

Termos relacionados Blogosfera
(...)