Está aqui

CTT: Trabalhador despedido foi reintegrado e sindicato suspende greve

O sindicato (SNTCT) decidiu suspender a greve que estava marcada para dia 13 de janeiro, após a empresa ter recuado, decidindo reintegrar o trabalhador António Neto Cunha, que fora despedido após ter sofrido um acidente que o deixou incapacitado.
Empresa reintegrou trabalhador e sindicato suspendeu greve nos CTT - Foto de Paulete Matos
Empresa reintegrou trabalhador e sindicato suspendeu greve nos CTT - Foto de Paulete Matos

Em comunicado com o título “trabalhadores dos CTT, em unidade, obrigaram empresa a reintegrar o trabalhador” o Sindicato Nacional dos Trabalhadores dos Correios e Telecomunicações (SNTCT) anuncia o recuo da empresa e a suspensão da greve marcada para dia 13.

O comunicado lembra que a defesa do trabalhador passou pela apresentação de uma providência cautelar, que levou o Tribunal de Valongo a considerar ilícito o despedimento do trabalhador António Neto Cunha e a condenar os CTT a reintegrá-lo, o que a empresa não fez.

O sindicato salienta que a empresa foi forçada, “perante a mobilização nos locais de trabalho”, a mudar de posição e a comunicarem ao trabalhador para se apresentar segunda-feira no CDP de Ermesinde e citam a informação enviada pela empresa ao trabalhador: “…Neste sentido, mais informamos que serão processados e aplicados todos os créditos salariais que lhe estão em falta, no processamento salarial relativo ao mês de Janeiro, bem como que está assumida a sua antiguidade e activados os benefícios complementares que vinha tendo direito, nomeadamente, a retoma plena do IOS.”

Perante esta importante vitória, o SNTCT decidiu suspender a greve geral, “garantindo que voltará à luta logo que a empresa volte à ‘carga’, seja com o Neto Cunha, ou com qualquer outro trabalhador da empresa”.

Termos relacionados Sociedade
(...)