Está aqui

CTT querem aumentar preço do correio

O lucro de 16,7 milhões de euros amealhado em 2020 serve para justificar a atribuição de dividendos aos acionistas este ano. Ao mesmo tempo, os CTT consideram que os seus resultados devem implicar a subida do preço do correio.
Foto de Paulete Matos.

No ano passado, os CTT registaram uma quebra de 42,9% no seu resultado líquido, com os os números a melhorarem significativamente nos últimos três meses de 2020. Apesar da queda, os lucros ascenderam a 16,7 milhões de euros. A área de Expresso e Encomendas viu as receitas aumentar 26,6%, para os 193 milhões de euros, e as receitas do Banco CTT avançaram 30,5%, para 82,1 milhões de euros.

João Bento, CEO dos CTT, referiu que "estes resultados operacionais demonstram que os CTT têm seguido uma estratégia acertada. Mesmo em contexto pandémico, o reposicionamento da marca e reforço da aposta na área de Expresso e Encomendas trouxe resultados muito positivos, com crescimento a dois dígitos nos rendimentos operacionais, no EBITDA e no número de objetos transportados".

Ainda assim, o Conselho de Administração da empresa frisou que, para aceitar renovar o contrato com o Estado, as condições terão de “melhorar significativamente”. E queixou-se do “insustentável enquadramento regulatório e de preços”. Por outro lado, os CTT informaram a CMVM que vão propor aos acionistas um dividendo de 8,5 cêntimos por ação, a pagar no dia 21 de maio.

CTT preparam-se para aumentar preço do correio

Em entrevista ao Negócios e à Antena 1, João Bento anunciou que os CTT vão endereçar à Anacom um novo pedido de aumento do preço do correio para 2021, que terá em conta a "queda excecional" do volume de correio.

“Sabemos qual o aumento de preço que deveríamos ter tido em 2020, para compensar a queda que esperávamos ter. A queda foi ainda maior e, portanto, sabemos quanto vem acumulado daí e quanto deveríamos ter tido para 2021", avançou.

Os CTT fizeram um primeiro pedido de aumento de preços ao regulador, "de acordo com as regras anteriores", e estão agora "a preparar um segundo pedido de aumento para ter em conta o que foi a queda excecional durante o ano de 2020".

De acordo com João Bento, o valor pedido é "razoável", e compensaria "parcialmente" as perdas que a empresa sofreu no ano passado.

Termos relacionados Sociedade
Comentários (1)