Está aqui

Reitores não querem regularizar vínculos precários

O Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas (CRUP) emitiu esta terça-feira, 6 de março, um comunicado contra a regularização de vínculos precários na administração pública.
CRUP emitiu comunicado contra a regularização de vínculos precários
CRUP emitiu comunicado contra a regularização de vínculos precários

O CRUP entende que o PREVPAP, programa através do qual os trabalhadores da Administração Central e do Setor Empresarial do Estado podem regularizar o seu vínculo laboral com o Estado, constitui “um procedimento que não garante o princípio do mérito como critério de entrada na administração público”, isto num documento firmado no dia em que cerca de 60 manifestantes se juntaram na Universidade de Coimbra, envergando cartazes que diziam que “O vínculo não é um luxo”.

Ler mais: Fenprof fala em "faz de conta" do governo no PREVPAP

Apesar dos vários atrasos e de pareceres considerados inaceitáveis pelos candidatos, o CRUP considera que “O processo está a decorrer de acordo com o programa estabelecido pelo Governo” e que “as universidades empenhadas na resolução das situações de necessidades permanentes não abrangidas pelos vínculos adequados”.

Ler mais: PREVPAP: "Governo não pode permitir boicotes"

Finalmente, no quadro de um programo que quer a regulalização de vínculos precários, o CRUP defende que, nas universidades, a precariedade é uma condição sine qua non: “a missão das universidades pressupõe uma rotação elevada dos seus investigadores e bolseiros, o que exige uma formação especializada dependente de durações temporais elevadas, que não deverá ser confundida com necessidades permanentes.”

Esta quarta-feira, dia 7 de março, o Bloco de Esquerda fez uma interpelação ao governo sobre os atrasos na implementação do PREVPAP.

Termos relacionados Política
(...)