Está aqui

Conferência "Viver a Cidade - O que fazer com a Cultura?", dia 19 de março no Porto

Organizada em três mesas de trabalho, a iniciativa no Conservatório de Música do Porto é de entrada e participação livre e conta com a presença do deputado Marcelo Expósito Prieto, eleito pelo En Comú Podemos.
Conferência "Viver a Cidade - O que fazer com a Cultura?", dia 19 de março
Conferência "Viver a Cidade - O que fazer com a Cultura?", dia 19 de março

O Bloco de Esquerda organiza no próximo domingo dia 19, no Conservatório de Música do Porto, uma conferência dedicada a políticas municipais de cultura. De entrada livre, a iniciativa está organizada em três mesas de discussão onde se pretende abordar alguns dos temas centrais para as políticas culturais. Cada mesa será aberta a discussão com o público.

A primeira mesa de trabalho, pelas 11h, irá abordar a relação entre Bibliotecas, Arquivos e Museus, num debate dirigido por Maria Luísa Cabral, Maria José Vitorino, Margarida Moleiro e Ada Pereira da Silva. Em anexo estão disponíveis dois contributos para o debate.

A segunda mesa de trabalho, pelas 14h, intitulada "Para acabar de vez com os apoios às artes", irá debater o investimento público nas artes, com os contributos de Pedro Rodrigues, António Capelo, Mário Moutinho e Pedro Sousa Loureiro.

Na terceira mesa de trabalho, pelas 16h, contaremos com a presença do deputado Marcelo Expósito Prieto e João Teixeira Lopes, com a moderação de Rui Matoso, onde se irá procurar estabelecer um ponto de contraste com as práticas culturais noutras cidades fora de Portugal, nomeadamente Barcelona.

O Esquerda.net publicou um texto de contributo, "A função da cultura na crise da Europa", onde o deputado espanhol critica a relação íntima entre as políticas europeias para a criatividade e a promoção do neoliberalismo.

A iniciativa termina pelas 18h com intervenções de Catarina Martins, João Semedo e  Marcelo Expósito Prieto.

Marcelo Expósito Pietro é deputado eleito pelo En Comú Podem nas Cortes Gerais de Espanha, Terceiro Secretário do Congresso dos Deputados e membro da Direção Executiva do Barcelona en Comú, a plataforma cívica eleitoral que governa o município de Barcelona desde 2015. Nos últimos vinte anos tem desenvolvido ativismo nos movimentos sociais contra o neoliberalismo e pela democracia, como o movimento anti-globalização e o EuroMayDay. Colaborou em redes de militância e investigação na Europa e na América do Sul tais como a Universidad Nomada, a Red Conceptualismos del Sur e o Instituto Europeu de Políticas Culturais Progressistas (EIPCP). Artista e gestor cultural, escreve e publicou contributos relevantes nos debates sobre a relação entre vanguardas artísticas, o ativismo cultural e as práticas políticas, tais como: Modos de hacer. Arte crítico, esfera pública y acción directa (2001), Producción cultural y prácticas instituyentes (2008), Walter Benjamin, productivista (2013) e Conversación con Manuel Borja-Villel (2015).

Termos relacionados Cultura
(...)