Está aqui

Conferência de líderes “tem de condenar” declarações xenófobas

Líder parlamentar do Bloco de Esquerda defende que conferência de líderes deve condenar declarações racistas e xenófobas dirigidas a Joacine Katar Moreira. Partidos e políticos de vários quadrantes têm repudiado publicamente as declarações de Ventura.
Conferência de líderes “tem de condenar” declarações xenófobas
Foto de Tiago Petinga/Lusa.

Pedro Filipe Soares espera que a conferência de líderes de hoje saia com “uma condenação” das declarações de André Ventura, deputado do Chega, sobre a deputada do Livre, Joacine Katar Moreira.

O deputado de extrema direita sugeriu a “devolução” de Joacine Katar Moreira ao seu país de origem. Na origem das declarações está a proposta apresentada pela deputada para a devolução de património existente nos museus portugueses aos países de origem nas antigas colónias de Portugal.

"De acordo com o que nós ouvimos nas opiniões públicas, os vários partidos, da direita até à esquerda, têm condenado estas declarações de André Ventura. Eu espero que essa condenação vá até à conferência de líderes e ali, num espaço em que estão todos representados, em que está o senhor presidente da Assembleia da República também representado, possa existir uma condenação que, por um lado, demonstre uma posição veemente para que isto não se repita no futuro e, por outro lado, coloque um ponto final nesta situação", referiu o líder parlamentar bloquista à agência Lusa.

Pedro Filipe Soares espera não ser necessário "sequer de ter grande discussão sobre a matéria porque uma posição de condenação em conferência de líderes permite atingir o objetivo político".

"As palavras de André Ventura demonstram um aspeto racista que tem de ser combatido e até xenófobo. A deputada Joacine Katar Moreira não tem menos legitimidade do que qualquer um dos outros deputados", reiterou à Lusa.

"O que se pede é que os democratas se levantem para exigir que não haja este silenciamento na democracia. Deve merecer um repúdio por parte dos democratas e notoriamente na Assembleia da República e é por isso que (...) esperamos que a expressão de repúdio dos diversos grupos parlamentares possa estar em cima da mesa, condenando estas declarações do deputado André Ventura", insistiu.

Condenações da esquerda à direita

As declarações de natureza xenófoba do deputado de extrema direita colheram condenações de várias personalidades da política portuguesa.

Ferro Rodrigues, presidente da Assembleia da República, considerou que as "declarações xenófobas" do deputado do Chega, André Ventura, sugerindo a deportação da deputada do Livre, Joacine Katar Moreira, "merecem a mais veemente condenação".

Numa nota enviada à agência Lusa, o presidente do Parlamento declarou que "considera lamentáveis as declarações xenófobas proferidas pelo deputado do Chega sobre a deputada Joacine Katar Moreira. São afirmações que merecem a mais veemente condenação”, reforçando que “o ódio não pode ser arma na política", nem na “Assembleia da República, órgão de soberania que é fiel aos valores da democracia e da tolerância".

O Partido Socialista, através de Ana Catarina Mendes, também se pronunciou sobre as declarações, qualificando-as de "xenófobas", "inadmissíveis" e "demasiado graves".

Também a ministra da Justiça, Francisca Van Dunem, aproveitou o discurso na Conferência 2020 Interseccional “Encarceramento e Sociedade” para se posicionar sobre o assunto.

“Não podia não deixar aqui uma nota de condenação para o discurso xenófobo que começou a invadir os nossos espaços institucionais e que chegou ao Parlamento, com uma declaração feita ontem [terça-feira] e que atingiu a deputada [do Livre] Joacine Katar Moreira”, afirmou a ministra.

Também Adolfo Mesquita Nunes, ex dirigente do CDS PP, condenou publicamente as declarações e quem as apoiou à direita.

“Não quero saber se acham que são de direita ou se acham que são cristãos ou se acham que tudo vale desde que seja para malhar na esquerda, porque cada um acha-se o que quiser, mas há uma coisa de que eu jamais prescindirei, que é do princípio da dignidade da pessoa, princípio estruturante da matriz judaico-cristã e a raiz da igualdade entre os Homens. Cobardes são os que prescindem de princípios estruturantes sempre que a esquerda os enerva, e só porque a esquerda os enerva", pode ler-se na publicação na sua conta de Facebook.

Boicote ao Hard Club no Porto

O músico português Filipe Sambado recorreu ontem às redes sociais para anunciar o cancelamento do seu concerto agendado para o Hard Club no Porto. O espetáculo passará a ter lugar no espaço Maus Hábitos – Espaço de Intervenção Cultural, no dia 14 de fevereiro.

O cancelamento do evento no Hard Club do Porto foi motivado por este espaço ter albergado o comício do partido de extrema direita Chega no passado dia 24 de janeiro. O músico considera que “não se pode mostrar conivente” com um espaço que compactua “com um encontro de ideologia de extrema direita, contando com membros que manifestam uma agenda e um programa racista, xenófobo, homofóbico, transfóbico, misógino e tantos outros adjetivos depreciativos de opressão e intolerância, contra os quais nos posicionamos, expressamos e lutamos”.

Termos relacionados Política
(...)