Está aqui

Concentrações em Lisboa e Porto esta sexta contra racismo e por justiça para Bruno Candé

Testemunhos recolhidos pelo Público confirmam que o ator de 39 anos foi vítima de insultos racistas por parte do alegado homicida. Em Bissau, dezenas de jovens deitaram-se à frente da embaixada portuguesa, assinalando o brutal assassinato de que foi vítima Bruno Candé Marques.
Foto de Evento "O racismo matou de novo: Justiça por Bruno Candé" / Facebook

Bruno Candé Marques, assassinado este sábado com quatro tiros à queima roupa em Moscavide, foi alvo de insultos racistas por parte do alegado homicida, dias antes de este cometer o assassinato em plena via pública.

Esta sexta-feira estão marcadas concentrações em Lisboa, a partir das 18h, no Largo de São Domingos, e no Porto, na Avenida dos Aliados, a partir das 16h, pedindo “Justiça por Bruno Candé”.

Além destas duas cidades, surgiram eventos em mais cidades do país que podem ser consultados na lista abaixo:

Aveiro:
Sábado 1 de agosto, às 18h00 na Estação da CP 

Beja: https://www.facebook.com/events/1541494339362483/
Sexta-feira 31 de julho, às 18h00 nas Portas de Mértola
Organizado por O Racismo Matou de Novo: Justiça Para Bruno Candé

Braga: https://www.facebook.com/events/283895102887547/
Sábado 1 de agosto, às 16h00, na Avenida Central
Organizado pelo Núcleo Antifascista de Braga e a Frente Unitária Antifascista

Coimbra: https://www.facebook.com/events/2712853858988908/
Sexta-feira 31 de julho às 18h30, na Praça 8 de Maio
Organizado pela Brigada Fernanda Mateus - Antifascistas de Coimbra, Frente Unitária Antifascista e Vozes no Mundo - Frente Pela Democracia No Brasil

Évora: https://www.facebook.com/events/838659269999783/
Sábado 1 de agosto às 16h00, no Jardim do Templo Diana
Organizado pelo Núcleo Antifascista de Évora e independentes com apoio da Frente Unitária Antifascista

Guimarães: https://www.facebook.com/events/951193212013180/
Sábado 1 de agosto às 16h00, frente à Câmara Municipal de Guimarães
Organizado pelo Núcleo Antifascista de Guimarães e a Frente Unitária Antifascista

Lisboa: https://www.facebook.com/events/581952095814020/
Sexta-feira 31 de julho às 18h00, no Largo de São Domingos
Organizado por O Racismo Matou de Novo: Justiça Para Bruno Candé (um conjunto de organizações anti-racistas e familiares)

Porto: https://www.facebook.com/events/284480972819527/
Sábado 1 de agosto às 16h00, na Avenida dos Aliados
Organizado pela ativista A Preta Aly, com apoio do Núcleo Antifascista do Porto, da Frente Unitária Antifascista e de independentes.

Viseu: https://www.facebook.com/events/929022527612854/
Sábado 1 de agosto às 18h00 no Rossio
Organizado pela Plataforma Já Marchavas

De acordo com o PÚBLICO, que recolheu vários testemunhos no local, o homem responsável pelo homicídio terá começado na quarta-feira anterior a implicar com a cadela de Bruno Candé, uma labradora de nome “Pepa”, uma discussão que escalou para uma série de insultos racistas como “preto vai para a tua terra” e “volta para a senzala”.

O homicídio decorreu numa das ruas mais movimentadas e com mais comércio local da freguesia de Moscavide, por essa razão foram várias as pessoas que testemunharam o crime e os insultos racistas proferidos pelo alegado homicida. Além disso, Bruno Candé Marques, que recuperava de um grave acidente de bicicleta, era conhecido localmente por passear frequentemente com a sua cadela naquela rua.

O dono de um café, frequentado por Bruno, relatou ao PÚBLICO que na quarta-feira passada o ouviu o alegado homicida a insultá-lo, aos berros, dizendo “que ele era preto, que ele tinha que estar na senzala, que ele ia violar a mãe dele.” O dono do café não tem qualquer dúvida de que foram insultos racistas. “Com certeza que é racista”, afirma. “O Bruno nunca fez mal a ninguém.”

Bruno Candé também contou à sua mulher, Vânia Rodrigues, os insultos racistas proferidos pelo suspeito, que lhe terá dito: “Fui à tua mãe e àquelas pretas de merda todas!”. Vânia começou a reparar no homem nos dias seguintes à discussão tida na quarta-feira, quando este começou a andar pela zona, com ar de quem estava à procura de Bruno, “e à procura de confusão”.

Um testemunho relata uma ameaça de morte feita pelo suspeito já nessa quarta-feira antes do homicídio. O trabalhador de uma ourivesaria situada ao lado do café e do banco onde Bruno foi assassinado ouviu uma discussão e foi separar os dois homens. Nessa discussão o homem manda-o embora e diz: ‘Tenho armas do Ultramar em casa e vou-te matar’.” Houve mais insultos: “preto do caralho, vai para a tua terra”.

Sadja Dama, amigo do ator, é testemunha de que os insultos racistas do arguido datam de há pelo menos dois meses. Em declarações ao PÚBLICO, Sadja conta que foi por causa da cadela que o alegado homicida começou a discutir com Bruno. O ator contou a Sadja que tinha direito de estar naquele local. “Não posso ficar preso em casa porque há uma pessoa que me vai atacar por racismo”, respondeu-lhe Bruno ao amigo, depois de este o aconselhar a não ir àquele local.

Embaixada da Guiné-Bissau em Portugal repudia assassinato de Bruno Candé

Esta segunda-feira a embaixada da Guiné Bissau em Portugal manifestou, em comunicado, o seu “mais profundo repúdio e pesar” pelo assassinato do actor Bruno Candé, cidadão português de origem guineense morto em Moscavide no sábado.

A missão diplomática apresenta condolências à família e aos amigos da vítima, assim como à Casa Conveniente, companhia de teatro à qual Bruno pertencia. A embaixada, que repudia “todas as formas de intolerância e violência”, disponibiliza “toda a assistência jurídica” necessária à família de Bruno Candé, apelando ainda “à tolerância, à contenção, ao aprofundamento do conhecimento mútuo e ao reforço dos laços de amizade entre a comunidade guineense residente em Portugal e as populações e autoridades do país de acolhimento”.

No mesmo dia, dezenas de guineenses protestam na embaixada de Portugal em Bissau, para exigir justiça para o ator de 39 anos assassinado neste sábado. Os jovens guineenses estiveram deitados frente à embaixada portuguesa, assinalando o brutal assassinato de que foi vítima Bruno Candé Marques.

Guineenses protestam na embaixada de Portugal em Bissau sobre assassinato de Bruno Candé em Portugal Jovens guineenses...

Publicado por Bissau On-line em Segunda-feira, 27 de julho de 2020

Notícia atualizada a 29 de julho, pelas 23:23, com a lista dos eventos marcados em outras cidades do país. Atualizada a 30 de julho às 11:47 com eventos de Aveiro e Beja.

Termos relacionados Sociedade
(...)