Está aqui

Centenas juntaram-se à primeira marcha LGBTI+ de Famalicão

Sob o lema "Famalicão tem outras cores", centenas de manifestantes exigiram políticas municipais contra o preconceito e de proteção da comunidade.
Primeira Marcha LGBTQIAP+ de Vila Nova de Famalicão foi este sábado. Fotos Esquerda.net

"Não aceitamos que a comunidade LGBTI+ famalicense continue a ser ignorada, exigimos reconhecimento e respeito, queremos políticas municipais que nos protejam de qualquer tipo de preconceito", afirma o manifesto lido no encerramento da primeira Marcha LGBTQIAP+ de Vila Nova de Famalicão, que este sábado juntou centenas de pessoas. Além da leitura do manifesto, o encerramento contou com intervenções de vários partidos, incluindo o Bloco de Esquerda.

Entre as reivindicações do manifesto, dirigidas ao Governo e ao município, está a da criminalização das "terapias de conversão", a criação de Espaços de Apoio à vítima LGBTI+, a reestruturação do SNS para que haja conhecimento e recursos para atender problemas particulares da comunidade LGBTI+, a celebração do Dia Internacional contra a Homofobia, Transfobia e Bifobia a 17 de Maio, o apoio a esta Marcha e a criação de um centro municipal LGBTI+ e apoios para a habitaão dirigidos a vítimas de violência LGBTI+.

Termos relacionados Sociedade
(...)