Está aqui

Catarina defende justiça climática contra direita que quer voltar a liberalizar eucaliptos

A coordenadora do Bloco defendeu em Setúbal que a resposta à emergência climática passa por reduzir as emissões poluentes, por profissionalizar a segurança das populações e dar meios aos bombeiros. “Estender a área de eucalipto, como quer o PSD, é absolutamente irresponsável”, frisou.
Catarina Martins visitou a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Setúbal, 19 de novembro – Foto de Pedro Almeida
Catarina Martins visitou a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Setúbal, 19 de novembro – Foto de Pedro Almeida

Catarina Martins visitou nesta quarta-feira, 19 de janeiro, a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Setúbal.

A coordenadora bloquista destacou a importância do trabalho que os bombeiros fazem, apontou que esta associação necessita de mais espaço e sublinhou que dar condições aos bombeiros para fazerem o seu trabalho é muito importante.

Estender a área de eucalipto é absolutamente irresponsável”

“As alterações climáticas não são uma ficção”, afirmou Catarina Martins, apontando que vivemos mesmo uma situação de “emergância climática”, o que significa que “temos enorme responsabilidade sobre a segurança das populações e a segurança do território, o que passa também pelos bombeiros”.

“Vemos a direita a negar que exista esta emergência climática e o PSD a querer estender a área do eucalipto, o que é absolutamente irresponsável”, criticou a coordenadora bloquista, apontando que é preciso dar uma “nova atenção” a quem nos protege dos fenómenos climáticos extremos.

“A resposta à emergência climática passa por reduzir as emissões poluentes mas também por profissionalizar a segurança das populações. Precisamos de prevenir mas também de dar meios técnicos e humanos às corporações de bombeiros”, frisou Catarina Martins, acrescentando que são precisos crescentes corpos de bombeiros profissionais, que serão complementados com trabalho voluntário.

Questionada sobre a posição do PSD, que defende que se liberalize a plantação do eucalipto, a coordenadora bloquista afirmou: “Seria um erro tremendo colocar em causa a segurança das populações, liberalizando a plantação do eucalipto. Pode ser muito bom para a indústria da celulose, mas é péssimo para a segurança da população”.

“Se compreendemos os riscos das alterações climáticas, limitar o eucalipto tem de ser uma prioridade para Portugal”, realçou Catarina Martins, que sublinhou que é mentira que responder à emergência climática seja mau para o país, como diz a direita. “Isso é uma visão de curto prazo para enriquecer alguns com a sua irresponsabilidade”, criticou.

Termos relacionados Legislativas 2022, Política
(...)