Está aqui

Catalunha quer multa de 3,2 milhões para Amazon por subcontratação ilegal

Inspeção do Trabalho da Catalunha propõe ainda multa de 2,6 milhões de euros a empresas subcontratadas, como a Randstad, por cederem ilegalmente 559 trabalhadores à multinacional em “condições laborais inferiores” àquelas que os mesmos teriam caso fossem contratados diretamente pela Amazon.
Amazon. Foto de FRIEDEMANN VOGEL, EPA/Lusa.

A Inspeção do Trabalho da Catalunha constatou que dezassete empresas subcontratadas, seis das quais de trabalho temporário (ETT), cederam ilegalmente 559 trabalhadores ao gigante mundial do comércio a retalho online em “condições laborais inferiores” àquelas que os mesmos teriam caso fossem contratados diretamente pela Amazon. Em causa a precariedade a que os trabalhadores estão sujeitos, sobretudo no que respeita a salários e instabilidade contratual.

Por este motivo, a Inspeção do Trabalho propõe uma sanção de 3.195.075 euros à Amazon, a serem aplicados à filial Amazon Road Transport Spain SL, com sede em Espanha, e uma multa de 2.609.578 euros para as empresas subcontratadas, entre as quais a Randstad, Tipsa ou Ara Vinc.

As empresas beneficiam prazo para apresentar defesa, cabendo posteriormente à autoridade laboral tomar uma decisão final.

Esta não é a primeira vez que a a Catalunha interpõe sanções à multinacional. Entre 2019 e 2021 registaram-se 22 sanções por incumprimento do código laboral, que ascenderam até os 1,1 milhões de euros. Destas, uma dezena foram também por subcontratação ilegal de trabalhadores.

Termos relacionados Internacional
(...)