Está aqui

Cannadouro dá a conhecer projetos de eco-construção com cânhamo

Este fim de semana realiza-se a quinta edição da Feira Internacional de Cânhamo do Porto, com debates, conferências, música e a presença de muitas dezenas de empresas e associações.
Imagem da edição de 2021 da Cannadouro.

A Cannadouro - Feira Internacional de Cânhamo do Porto regressa à Alfândega do Porto a 19 e 20 de novembro para dar a conhecer o que se produz no vasto leque de aplicações da canábis. Mais de 60 empresas nacionais e estrangeiras marcam presença com stands de divulgação ao público das suas marcas e produtos e no espaço associativo encontram-se movimentos e associações ligadas ao antiproibicionismo, redução de riscos ou acesso à canábis medicinal.

Nesta edição, a grande novidade é o primeiro dia de conferências ser dedicado ao cânhamo industrial, com destaque para o uso do cânhamo na eco-construção. A escolha do tema, diz o diretor da feira, João Carvalho, foi feita "por se tratar de uma solução  que está a ter grande aceitação e permitir escoar de forma imediata a palha de cânhamo, até agora considerado um subproduto". Entre outros conferencistas, participam os arquitetos Francisco Adão da Fonseca e Monika Brümmer, o presidente da cooperativa Lusicanna, Hugo Monteiro, o diretor da Canhamor, a única fábrica de blocos de cânhamo em Portugal, Elad Kaspin, e o arquiteto Duarte Capa e Jorgen Hempel apresentarão o sistema Hemp Eco, que promove o uso de biomateriais na construção e isolamento.

Nas conferências do segundo dia, o destaque vai para a luta pelo acesso à canábis medicinal, apresentada por Maria João Rezende e Paula Mota, do Movimento Mães pela Canábis. A farmacêutica brasileira Adriana Ribeiro falará da ligação entre os movimentos de mães cultivadoras dos dois lados do Atlântico e a presidente da Associação Portuguesa de Informação sobre Canábis, Soraia Tomas, intervém sobre a modulação do sistema endocanabinóide nas perturbações do espectro do autismo. Há também conferências sobre autocultivo e fabrico caseiro de óleo de canábis, entre outros temas.

Além das conferências e dos stands comerciais e associativos, a Cannadouro conta ainda com uma zona de alimentação com a presença de alguns projetos de street food e um palco para atuações musicais nos dois dias do evento. No sábado à noite há uma after party no Hard Club com música tribal ao vivo e dub, em parceria com os Nomad Embassy e o artista Till Sunday Pirate.

Termos relacionados Sociedade
(...)