Está aqui

Campanha de Bolsonaro paga com verbas desviadas

Segundo a imprensa internacional, o ministro do Turismo brasileiro criou candidaturas falsas de forma a poder receber verbas estatais. Estas terão sido usadas nas despesas de campanha de Bolsonaro à presidência.
Fotografia: commons/wikimedia.org
Fotografia: commons/wikimedia.org

A denúncia foi feita por Haissander Souza de Paula, ex-assessor do ministro do Turismo, Marcelo António, acusado pelo Ministério Público de ter comandado os desvios. Segundo o mesmo, citado pela Folha de S. Paulo, foram criadas candidaturas fantasmas de várias mulheres a deputadas. O objetivo seria ficar com as verbas atribuídas pelo Fundo Eleitoral a essas candidatas, que, de acordo com a polícia brasileira, nunca fizeram campanha nem receberam votos. Muitas dessas mulheres terão confirmado à polícia que o próprio ministro - ou os seus assessores - lhe exigiu a devolução das verbas.

A Folha de S. Paulo divulgou ainda que Haissader confirmou à polícia que centenas de milhares de reais foram desviados pelo atual ministro do Turismo para pagar as despesas de campanha e as da campanha de Bolsonaro à presidência. O ministro, entretanto, negou as acusações e Bolsonaro recusou-se a demiti-lo.

Termos relacionados Internacional
(...)