Está aqui

Câmara de Lisboa começa a retirar tapumes do Martim Moniz

A praça do centro de Lisboa esteve um ano fechada ao público, mas a contestação impediu a obra. Bloco propôs na semana passada retirada imediata dos tapumes.
Praça do Martim Moniz
Imagem da retirada dos tapumes do Martim Moniz. Foto publicada na página Jardim Martim Moniz/Facebook

A autarquia lisboeta começou esta terça-feira a retirar os tapumes que vedam o acesso público ao interior da praça do Martim Moniz, no centro de Lisboa. Os tapumes tinham sido colocados há cerca de um ano para a realização de uma obra que mereceu viva contestação de moradores: colocar cerca de 50 espaços comerciais em contentores no meio da praça.

Depois de abaixo-assinados, intervenções na Assembleia Municipal e até um cordão humano contra a obra anunciada por Fernando Medina e Manuel Salgado, o vereador bloquista Manuel Grilo anunciou em julho que a Câmara tinha finalmente desistido do “projeto dos contentores” para aquela praça.

Apesar da desistência do projeto por parte da autarquia, os tapumes continuaram no local nos meses seguintes. Na semana passada, o vereador do Bloco questionou a Câmara e os deputados municipais apresentaram uma recomendação pela retirada imediata dos tapumes.

“Hoje, quase um ano depois, Lisboa volta a ver o Martim Moniz. Esperemos que os eventuais projetos a serem aprovados para a zona não o sejam de costas viradas para a população”, afirmou a concelhia de Lisboa do Bloco de Esquerda esta terça-feira nas redes sociais.

Termos relacionados Sociedade
(...)