Está aqui

Call centers da NOS e MEO em greve contra a “vergonha” da precariedade

Os trabalhadores da Manpower e Rhmais, afetos aos call centers da NOS e da MEO no Porto, estão em greve contra os baixos salários e a precariedade. Presente na concentração, José Soeiro manifestou solidariedade “com que luta” e lembrou que “para os de baixo não há vitórias sem protesto e sem combate”.
Foto de José Soeiro/Facebook

A greve dos trabalhadores das Empresas de Trabalho Temporário dos call centers do Porto da NOS e da MEO foi convocada pelo Sinttav, Sindicato Nacional dos Trabalhadores das Telecomunicações e Audiovisual. O protesto, esclarecem, é contra a “vergonha nacional” que é a precariedade e serve aos mesmo tempo para “manifestarem o seu descontentamento contra a política dos baixos salários”. Por isso, e porque os call centers são uma atividade cujo volume de negócios aumenta e os lucros multiplicam-se por muitos milhões de euros”, exigem aumentos salariais, melhores condições de trabalho e integração nos quadros da MEO e da NOS.

Para os sindicalistas, estas empresas “não têm argumentos para continuar a justificar-se com a crise económica”: “a economia cresce, as empresas têm mais lucros e neste quadro favorável não é admissível que, em tipo de 'cartel combinado', continuem focadas numa política de baixos salários e assim mantenham os trabalhadores desmotivados e a procurarem mudar de vida”.

Estes trabalhadores concentraram-se durante a manhã de quinta-feira, em frente ao edifício da NOS em Campanhã. Os responsáveis pelo Sinttav afirmam que os “os baixo salários que não correspondem à qualificação dos trabalhadores e às exigências estabelecidas pelas empresas”. E consideraram que “o mais grave” é “a falta de qualquer disponibilidade por parte das empresas para dialogar”.

Presente no protesto, o deputado bloquista José Soeiro manifestou solidariedade para com estes trabalhadores e para “com quem luta”. Na sua página de facebook saudou a greve afirmando “para os de baixo, não há poder nem vitórias sem protesto e sem combate”.

Termos relacionados Sociedade
(...)