Está aqui

Brasil: Selecionador de futebol contra realização da Olimpíada no país

Rogério Micale critica gastos bilionários num país “com tanta gente morrendo e desempregada”. Construtura Odebrecht repete o que aconteceu no Mundial e não conclui Vila Olímpica no prazo. Por Luis Leiria.
A Vila Olímpica ainda não está concluída, poucos dias antes do início dos Jogos - Foto: André Motta/Brasil2016.gov.br
A Vila Olímpica ainda não está concluída, poucos dias antes do início dos Jogos - Foto: André Motta/Brasil2016.gov.br

O selecionador da equipa de futebol olímpico do Brasil criticou os gastos bilionários exigidos para organizar um megaevento como os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. “Não posso falar que a Olimpíada é uma coisa boa”, disse Rogério Micale ao jornal Folha de S. Paulo.

Micale assumiu o comando da seleção olímpica depois de Tite, o treinador da seleção principal, ter prescindido do comando da equipa olímpica, que tradicionalmente era acumulado. O atual selecionador olímpico foi o técnico da seleção de sub-20 que ficou em 2º lugar no mundial da Nova Zelândia do ano passado.

Perguntado sobre os gastos de 35 mil milhões de reais para organizar o evento, Micale respondeu: “Sou contra. É minha opinião. Por tudo o que penso da sociedade, do nosso momento político”. E acrescentou: “Pai de família no hospital, um monte de gente morrendo, gente desempregada...”

O selecionador disse ainda que os rivais mais temidos no futebol olímpico são as seleções de Portugal, Alemanha e Nigéria.

Gastos milionários e atrasos

A Vila Olímpica construída na Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio de Janeiro, vai custar cinco vezes mais do que o previsto no dossier de candidatura, de acordo com a espn.br. Mas, à semelhança do que já acontecera no último Mundial de futebol, a construtora Odebrecht chegou ao prazo final com a obra inacabada e cheia de problemas. A mesma empresa entregara também inacabada a Arena Corinthians, o estádio onde se realizou o jogo de abertura do Mundial.

As delegações que já chegaram ao Rio queixam-se de problemas hidráulicos (infiltrações de água), instalações elétricas deficientes, falta de iluminação e cheiro de gás. O COI (Comité Olímpico Internacional) admitiu os problemas em todos os prédios. A Vila Olímpica começou a ser construída em 2012 e a informação da prefeitura do Rio de Janeiro sempre foi de que os prazos estavam a ser cumpridos. Os Jogos Olímpicos de 2016 começam no dia 5 de agosto.

Sobre o/a autor(a)

Jornalista do Esquerda.net
(...)