Está aqui

Bloco quer ver garantido reforço do INEM e da linha 112

Num requerimento enviado ao Ministério da Saúde, os bloquistas questionam o Governo sobre a falta de profissionais no atendimento da linha 112 e no Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM).
Foto de António Cotrim, Lusa.

Conforme referem os deputados Moisés Ferreira e Jorge Falcato, nos últimos dias, surgiram denúncias no sentido de que o atendimento pela linha 112 estaria mais demorado devido à falta de profissionais. Em resposta às notícias veiculadas nos media, o Governo garantiu que “está a decorrer um novo processo de recrutamento junto da GNR”.

Para o Bloco de Esquerda, “urge conhecer os termos e os prazos deste concurso”.

Lembrando que o INEM não está sujeito a cativações, mediante a aprovação da proposta bloquista aquando do debate do Orçamento de Estado para o corrente ano, os deputados questionam se, de facto, o Governo descativou as verbas para o INEM e qual foi o montante atribuído a este Instituto até ao momento.

Moisés Ferreira e Jorge Falcato querem ainda saber qual o montante que o Governo prevê disponibilizar ao INEM até ao final de 2018 e qual foi a verba atribuída em 2016 e 2017.

Quanto ao anunciado processo de recrutamento junto da GNR, o Bloco pergunta quando foi iniciado este concurso, quantos profissionais serão contratados e quando se prevê que estes trabalhadores entrem em funções.

Os bloquistas sublinham que é “incompreensível que o INEM possa estar a funcionar com falta de profissionais, sobrecarregando os trabalhadores em funções”, assinalando que, em resposta a uma pergunta do Bloco, é assumido que, em 2017, saíram 57 trabalhadores do INEM, sendo que, entre janeiro e maio de 2018, já tinham saído outros 25.

Moisés Ferreira e Jorge Falcato lembram também que, há poucas semanas, foi aprovada na Assembleia da República uma iniciativa do Bloco de Esquerda que preconiza o reforço da resposta do Instituto Nacional de Emergência Médica através da contratação dos profissionais em falta. Este projeto foi aprovado com os votos favoráveis de todos os partidos e a abstenção do PS.

“Há, portanto, um consenso alargado quanto à necessidade de contratar mais profissionais para o INEM. Não há cativações no INEM, devido à iniciativa do Bloco. Implementem-se, com urgência, as medidas já aprovadas na Assembleia da República, reforçando o quadro de trabalhadores do INEM, através da contratação efetiva e não precária dos profissionais necessários ao normal funcionamento deste instituto fundamental para a assistência à população”, escrevem os deputados bloquistas.

Termos relacionados Política
(...)