Está aqui

Bloco alerta para salários em atraso na fábrica de calçado Everest

A empresa de Calçado Evereste está com salários em atraso. Apenas 30% do mês de janeiro foi pago e a administração diz que o futuro é incerto. Os deputados do Bloco querem saber o que pretende o governo fazer quanto a isso.
Fábrica de Calçado Everest.
Fábrica de Calçado Everest. Fonte: Turismo Industrial de São João da Madeira.

Era considerada uma empresa de referência no sector do calçado e fazia mesmo parte da rota de Turismo Industrial, do concelho de São João da Madeira. A empresa de calçado Evereste existe desde 1942 e exporta para países como França, Alemanha, Holanda, Bélgica, Luxemburgo, República Checa, Croácia, Holanda, Rússia, Emirados Unidos e Canadá.

A empresa nunca teria tido salários em atraso. Até agora. Os 60 trabalhadores da Everest receberam apenas 30% do salário do mês de janeiro. E têm faltado respostas por parte da administração quanto ao futuro da empresa. Por isso, farão greve a partir de 27 de fevereiro.

Segundo a pergunta enviada pelos deputados do Bloco eleitos pelo distrito Aveiro, Moisés Ferreira e Nelson Peralta, ao Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social a administração terá informado os trabalhadores, na passada segunda-feira, “que o futuro da empresa era incerto” o que, salientam, “deixou os trabalhadores desassossegados em relação ao futuro da empresa e ao seu futuro”.

Os deputados bloquistas questionam se o governo tem conhecimento dos problemas de tesouraria da fábrica, se esta tem sido monitorizada pela Autoridade para as Condições de Trabalho. Pretendem ainda saber se a empresa recorreu a programas comunitários e se tem regularizada a sua situação com Segurança Social. E terminam indagando se o governo tem previsto adotar medidas para que a empresa continue a laborar.

Termos relacionados Sociedade
(...)