Está aqui

Ativistas denunciam envolvimento da indústria financeira na crise climática

De 13 a 26 de janeiro várias organizações preparam quinzena de ação para denunciar as responsabilidades da indústria financeira nas injustiças climática e social.
Ativistas denunciam envolvimento da indústria financeira na crise climática
Imagem da plataforma europeia By 2020 We Rise Up.

A propósito do 50º aniversário do Fórum Económico Mundial em Davos, várias organizações ambientalistas organizam o Fracasso Económico Mundial. A plataforma europeia By 2020 We Rise Up, composta por várias associações e movimentos sociais, convoca esta quinzena de ação que terá lugar de 13 a 26 de janeiro – o evento irá coincidir com as datas da cimeira de Davos, de 21 a 24 de janeiro. Os ativistas pretendem lembrar que as instituições financeiras desempenham um papel na emergência climática que se vive atualmente.

“As instituições financeiras não só garantem dinheiro para os projetos como tecem a economia e influenciam a política a nível mundial, colocando o lucro acima da democracia”, lê-se no comunicado de imprensa.

Estas duas semanas serão compostas por debates, sessões públicas e apresentações sobre a ligação entre as instituições financeiras e as injustiças sociais e climáticas, bem como ações diretas não violentas e manifestações por ocasião da contra cimeira do Fórum Económico Mundial.

Até ao momento as iniciativas em Portugal contam com o envolvimento do Climáximo, Climate Save Portugal, 2 degrees artivism, Academia Cidadã,Gás é Andar para Trás, Habita, Extinction Rebellion Porto, Extinction Rebellion Coimbra, MAPA – Movimento de Ação Política, Rede de Decrescimento e Greve Climática Estudantil.

Termos relacionados Ambiente
(...)