Está aqui

Assembleia Municipal de Loulé unânime contra a exploração de Petróleo

A AM de Loulé decidiu também marcar, em conjunto com todas as associações ambientais e outros municípios, uma manifestação de repúdio contra a decisão do governo de manter a exploração de petróleo na costa algarvia.
“Nem um Furo! Nem agora... nem no futuro”, manifestação "Salvar o Clima, Parar o Petróleo" em Lisboa - Foto Ricardo Gouveia
“Nem um Furo! Nem agora... nem no futuro”, manifestação "Salvar o Clima, Parar o Petróleo" em Lisboa - Foto Ricardo Gouveia

No passado dia 20 de julho, a Assembleia Municipal de Loulé aprovou uma moção com o título “Não à prospeção e exploração de petróleo no Algarve”, por unanimidade, com os votos favoráveis de Bloco de Esquerda, PS, PSD e CDS.

Na moção e além da decisão de marcar uma manifestação, através da AMAL (Comunidade Intermunicipal do Algarve), recomenda-se ao governo o fim do contrato com o consórcio ENI/GALP, “sondagem de hidrocarbonetos Santola 1X” e a aposta cada vez maior nas energias limpas e renováveis, “seguindo as linhas orientadoras a nível nacional e da Europa que preveem uma transição energética para uma economia sem emissões de CO2”.

Nos considerandos da moção, é referido, nomeadamente, que “ao contrário do que é corriqueiramente propagado”, não haverá uma fase de prospeção e outra de exploração e que a região será afetada pela sondagem de pesquisa de hidrocarbonetos Santola iX.

O documento refere também que “a imagem de excelência” do Turismo não é compatível com a exploração de petróleo, que afetará também a pescas na região.

A moção salienta ainda que a consulta pública teve mais de 42.000 participações contra a sondagem, “o que torna ainda mais lamentável a posição da Agência Portuguesa do Ambiente (APA) de não exigir Estudo de Avaliação Ambiental”.

Termos relacionados Petróleo em Portugal, Ambiente
Comentários (1)