Artistas portugueses pedem a Conan Osíris que boicote a Eurovisão em Israel

28 de março 2019 - 15:39

Numa carta aberta, mais de 40 artistas portugueses pedem ao vencedor português do festival Eurovisão para cancelar a sua participação no evento que terá lugar este ano em Telavive.

PARTILHAR

Entre eles, os músicos José Mário Branco, Vítor Rua, António Sousa Dias e Chullage, a coreográfa Olga Roriz, o escritor Afonso Cruz, a cineasta Raquel Freire, os artistas Joana Villaverde e Thomas Walgrave, e Tiago Rodrigues, diretor artístico do Teatro D. Maria. 

Já em junho do ano passado, organizações culturais palestinianas chamaram ao boicote da Eurovisão 2019, sublinhando que: "o regime israelita de ocupação militar, colonialismo e apartheid está descaradamente a usar a Eurovisão como parte da sua estratégia oficial Brand Israel, que tenta mostrar a face mais bonita de Israel para branquear e desviar a atenção dos seus crimes de guerra contra os palestinianos".

No preciso momento em que Israel volta a bombardear intensivamente a população de Gaza e que Trump proclama a soberania de Israel sobre os Montes Golã anexados à margem do direito internacional em 1981, Conan Osíris encontra-se em Telavive para filmar um vídeoclip que será divulgado durante a emissão do festival sobre um fundo de paisagens “israelitas” que incluem os Montes Golã e Jerusalém Oriental sob ocupação militar.

Na carta, os artistas afirmam que “ir a Israel seria ignorar o cerco ilegal que o país mantém a 1,8 milhões de palestinianos em Gaza, negando-lhes os direitos mais básicos. Entre 41 quilómetros de comprimento por 6 a 12 de largura, os habitantes vivem com água racionada, estão cercados por muros e soldados, são agredidos e assassinados de forma impune" e lembram ainda que a ONU considera que Gaza é “inabitável".

“A escassos minutos do lugar onde vais cantar, vivem ainda 2,7 milhões de palestinianos aprisionados por um muro de apartheid ilegal”, dizem a Conan Osíris, lembrando que “o parlamento israelita aprovou este estado de apartheid através da 'Lei do Estado-Nação do povo judeu', que declara a superioridade racial de israelitas judeus", ação já condenada pela União Europeia, incluindo por Portugal.

“No ano passado, em Lisboa, Netta Barzilai, israelita, venceu a Eurovisão. Emocionou-se, a festa fez-se com luzes, música e estrondo. Dois dias depois, o estrondo foi outro: soldados israelitas massacraram 62 palestinianos, incluindo seis crianças.”, recordam.

“Não deixes que Israel use a tua arte para branquear os seus crimes contra o povo palestiniano e junta-te a milhares de artistas de todo o mundo que se expressaram contra a Eurovisão em Israel”, apelam ao cantor.

 

Subscrevem:

Afonso Cruz – escritor

Alexandra Lucas Coelho - escritora

Ana Rita Osório - direcção executiva Alkantara

André Gago – ator

António Alves - artista de rua

António de Sousa Dias - músico

António Grosso - ator

Bernardo Afonso - músico

Bruno Cabral - realizador

Carla Nobre Sousa - co-directora artística Alkantara

Carlota Lagido - coreógrafa e bailarina

Carolina Amaral - atriz

Chullage - músico

Claudia Dias - Coreógrafa e bailarina

David Cabecinha - co-diretor artístico Alkantara

Filipa Godinho - artista plástica

Francisco Fanhais - músico

Gabriela Ruivo Trindade - escritora

Hélder Costa - encenador, dramaturgo

Joana Villaverde - artista plástica

José Mário Branco - músico

Judite Fernandes - escritora

Luís Rainha – escritor

Manuela de Freitas - atriz

Maria do Céu Guerra - atriz e encenadora

Maria João Cantinho - poeta

Mariana Christ Lemos - artista da dança

Marta Lança - curadora e editora do BUALA

Nuno Lobito – fotógrafo

Olga Roriz - coreógrafa e bailarina

Pedro Lamares - ator

Raquel Freire - realizadora

Raquel Ribeiro - escritora

Rita Natálio – artista

Sara Carinhas - atriz

Susana Lopes - produtora cultural

Telma Pereira – cantora

Teresa Cabral - pintora

Teresa Dias Coelho – pintora

Thomas Walgrave – artista

Tiago Rodrigues – diretor artístico TNDM

Tiago Santos - músico / radio Oxigénio

Vítor Rua - músico, compositor