Está aqui

AR rejeita proposta de abolição das touradas

Projeto do PAN foi votado nesta sexta-feira e rejeitado por PS, PSD e CDS. Maria Rola do Bloco afirmou que “não é mais aceitável social, científica e politicamente a violência sobre os animais” e lamentou que o PAN não tenha permitido o debate das propostas do Bloco.
Maria Rola do Bloco afirmou que “não é mais aceitável social, científica e politicamente a violência sobre os animais”
Maria Rola do Bloco afirmou que “não é mais aceitável social, científica e politicamente a violência sobre os animais”

A favor do projeto do PAN votaram os deputados do Bloco de Esquerda (à exceção de Carlos Matias que se absteve), os dois deputados do PEV, seis deputados do PS e um do PSD. 12 deputados do PS e um do PSD abstiveram-se. Os restantes deputados do PS e do PSD, assim como os deputados do CDS e do PCP votaram contra.

A deputada Maria Manuel Rola interveio pelo Bloco de Esquerda, começando por referir que “os espetáculos foram evoluindo ao longo das épocas”, e que “espetáculos bárbaros foram deixando de ter público e aceitação social pela exploração e violência que continham”.

“Nos dias de hoje, não é mais aceitável social, científica e politicamente a violência sobre os animais”, afirmou a deputada, sublinhando que “infligir dor a um animal, reiteradamente e deliberadamente, é tortura”.

A deputada criticou o projeto do PAN por não prever consequências da aplicação da proibição e lamentou que o PAN “não tenha permitido trazer a jogo propostas do Bloco”, o financiamento e a transmissão televisiva das touradas.

Carlos Matias entregou uma declaração de voto a explicar a sua abstenção, afirmando que não aprova a realização de touradas, mas também não se revê na proibição.

Termos relacionados Política
(...)