Está aqui

Alunos e professores manifestaram-se contra a degradação da Escola Superior de Dança

A direção da Escola Superior de Dança aguarda autorização do Governo para vender edifício e construir novo espaço no Campus de Benfica. Bloco de Esquerda questionou o Ministério da Ciência Tecnologia e Ensino Superior (MCTES).
Estudantes da Escola Superior de Dança (ESD) manifestaram-se nesta segunda-feira contra a contínua degradação das instalações – Foto de esquerda.net
Estudantes da Escola Superior de Dança (ESD) manifestaram-se nesta segunda-feira contra a contínua degradação das instalações – Foto de esquerda.net

Estudantes e professores da Escola Superior de Dança (ESD) manifestaram-se nesta segunda-feira, 8 de janeiro de 2018, contra a contínua degradação das instalações que põe em risco a segurança e higiene das pessoas que lá trabalham.

Durante a greve dos estudantes e a manifestação de alunos e professores, a ESD esteve aberta para permitir a confirmação das denúncias da direção da associação de estudantes.

Segundo a Lusa, o perigo é visível na sala de convívio, onde caiu um pedaço de teto. No espaço de aquecimento e treino há uma zona interdita, devido à queda do teto. Na maioria das salas há muito frio, nos estúdios não há regulação de temperatura, as janelas não fecham. Beatriz Dias da associação de estudantes contou que, no final do primeiro período os alunos iam apresentar um espetáculo, mas teve de ser cancelado, porque “ninguém conseguia ligar o sistema elétrico e quando chamaram um eletricista ele disse aos professores que estávamos todos expostos a perigos”.

A presidente da ESD, Vanda Nascimento, disse à Lusa que a escola funciona no edifício do Bairro Alto desde 1995 e tem sido alvo de pequenos arranjos, que não resolveram os problemas de fundo.

Segundo a direção da ESD, a solução “está nas mãos do Governo”, pois depende dele a autorização de venda do edifício para construir um novo espaço de raiz nos terrenos do Campus de Benfica.

Vanda Nascimento diz à Lusa: “Dado não haver financiamento, é preciso vender este edifício. A autorização do conselho geral do Instituto Politécnico de Lisboa (IPL) já aconteceu e agora está nas mãos do Governo”. A presidente da ESD contou ainda que, na passada sexta-feira, a secretária de Estado do Ensino Superior, Fernanda Rollo, visitou a ESD, na companhia da direção do IPL, e “comprometeu-se a olhar para a problemática e avaliar a situação”.

IPL desmente Governo

Estudantes da Escola Superior de Dança (ESD) manifestaram-se nesta segunda-feira contra a contínua degradação das instalações – Foto de esquerda.net
Estudantes da Escola Superior de Dança (ESD) manifestaram-se nesta segunda-feira contra a contínua degradação das instalações – Foto de esquerda.net

Em comunicado de imprensa do MCTES, refere-se que “na sequência dessa visita [à ESD na passada sexta-feira], a secretária de Estado solicitou ao presidente do IPL uma solução urgente para o funcionamento da Escola Superior de Dança”.

Em comunicado enviado à Lusa, o IPL desmente a secretária de Estado e afirma que em 2017 pediu autorizações para avançar com a construção do novo edifício da ESD, incluindo à Secretaria Geral de Educação e Ciência.

“Em junho de 2017, foi apresentado ao gabinete do secretário de Estado do Tesouro, um pedido no sentido de isentar o IPL em 50% da receita, de modo a poder avançar com a construção do novo edifício. Esta intenção foi comunicada, de igual modo, à secretaria Geral da Educação e Ciência, que, entretanto, solicitou autorização da venda do atual edifício da ESD ao Conselho Geral do IPL. A decisão do Conselho Geral de autorizar a venda do imóvel foi comunicada à Secretaria Geral da Educação e Ciência, estando a aguardar resposta”, refere o comunicado IPL.

O IPL diz ainda: “Existe terreno disponível no Campus de Benfica do IPL para a construção do novo edifício da ESD. O calendário da obra depende das autorizações governamentais referentes à execução da mesma. O Politécnico de Lisboa está a preparar o lançamento do concurso de arquitetura do futuro edifício destinado à ESD”. O IPL afirma ainda que “entende as exigências dos alunos da ESD” e “reafirma o seu compromisso de continuar a desenvolver todas as diligências ao seu alcance junto das entidades competentes para encontrar a solução por todos desejada”.

Bloco questiona Governo

Em pergunta ao Governo, o Bloco de Esquerda pergunta ao Ministério da Ciência Tecnologia e Ensino Superior se tem conhecimento da situação da ESD e das “gravíssimas deficiências desta escola do Instituto Politécnico de Lisboa” e se pondera intervir junto do IPL para que este garanta “condições dignas para quem estuda e trabalha na Escola Superior de Dança, ao nível das suas instalações”.

Termos relacionados Sociedade
(...)