Está aqui

Aliança populista e de extrema direita em Itália

O Movimento 5 Estrelas e a Liga Norte chegaram a acordo para governação. Entre as propostas encontra-se a expulsão de 500 000 imigrantes, creches gratuitas apenas para famílias italianas, generalização do porte de arma e levantamento da identidade de todos os pregadores muçulmanos no país.
Aliança populista e de extrema direita em Itália
Matteo Salvini, do partido de extrema direita Liga Norte, conseguiu fazer com que as suas propostas dominassem o acordo de governação, apesar de ter recolhido menos votos.

A Liga, um partido populista de extrema direita, e o Movimento 5 Estrelas, auto designado partido anti sistema, chegaram a um acordo para Governo em Itália. As medidas do acordo incluem a expulsão de 500 000 imigrantes em situação irregular, a adesão a um rendimento social mínimo de 780€ mensais e a discussão de todos os tratados da União Europeia. 

Ambos os partidos irão submeter o “Contrato de Governo para a Mudança" - é assim que designam o seu acordo para Governo -  a consulta popular (o Movimento 5 Estrelas através da internet e a Liga através de bancas públicas, situadas maioritariamente no norte de Itália), embora não exista um real controlo da participação ou da sua representatividade a nível nacional, mas serão usados como argumento aquando da reunião dos representantes destes dois partidos com Sergio Mattarella, Presidente da República do país.

De fora das propostas já se encontram o mecanismo de saída do euro e a obrigatoriedade de condução em língua italiana das cerimónias religiosas em mesquitas, embora mantenha a defesa do levantamento das identidades de todos os pregadores muçulmanos no país.

A Liga, que ficará responsável pelas questões relacionadas com a segurança nacional, defende o bloqueio dos desembarques de imigrantes e o seu repatriamento automático. Além disso, propõem o reforço dos meios policiais e a generalização do porte de arma - a “garantia do direito de legítima defesa” é uma das principais medidas deste partido.

O acordo de governação inclui, aliás, muito mais propostas do partido de extrema-direita que do Movimento 5 Estrelas. O ataque à imigração, a legítima defesa, o imposto único sobre rendimento para pessoas e empresas, encerramento de acampamentos de pessoas de etnia cigana, a gratuitidade das creches apenas para italianos, tudo isto são propostas do partido do que tem como lema “os italianos primeiro”.

Também o ataque às organizações não governamentais que trabalham com imigrantes no Mediterrâneo é defendido como sendo um “ataque ao negócio da imigração”.

A inclusão do rendimento social único, uma das maiores propostas do Movimento 5 Estrelas às eleições, tem a duração de até dois anos e obriga a que quem o recebe tenha de aceitar uma de três propostas de emprego apresentadas pelo seu centro de segurança social.

A mais recente sondagem publicada pelo La Republica apresenta a Liga com uma subida para 25,5% (face aos 19% que obteve nas eleições) e o Movimento 5 Estrelas com 32,1%. Di Maio, do Movimento 5 Estrelas, obtem 38% de confiança e Matteo Salvini, da Liga Norte, 36%.

Termos relacionados Internacional
Comentários (1)