Está aqui

Administração Trump quer prender famílias migrantes por tempo indeterminado

Os grupos de direitos humanos reagiram com horror e indignação face ao anúncio, por parte da administração Trump, de uma regra que visa permitir ao governo federal deter famílias migrantes por um período ilimitado de tempo. Em causa está “um ataque cruel contra crianças”.
Não à separação das famílias - faixa em manifestação nos EUA.
Não à separação das famílias - faixa em manifestação nos EUA.

A nova regra foi anunciada na manhã de quarta-feira pelo secretário interino de Segurança Interna, Kevin McAleenan. A ser implementada, anulará uma decisão judicial de 1997, conhecida como acordo de acordo com Flores, que impede que o governo federal prenda crianças imigrantes por mais de 20 dias.

"Este é mais um ataque cruel contra crianças, que o governo Trump tem visado repetidamente com as suas políticas anti-imigração", disse Madhuri Grewal, conselheiro político da American Civil Liberties Union (ACLU) em comunicado.

"O governo não deveria estar a prender crianças, e certamente não deveria estar a tentar prolongar a sua estadia na prisão”, acrescentou.

Já Denise Bell, investigadora dos direitos de refugiados e imigrantes da Amnistia Internacional EUA, vincou que a medida é "extraordinariamente cruel".

"Está além da lógica e da humanidade tentar manter as crianças trancadas pelo maior tempo possível, especialmente quando sabemos que isso as sujeita a trauma e sofrimento extremo", avançou Bell, sublinhando que “crianças que já sofreram violência e perseguição seriam prejudicadas ainda mais por esta política".

Assim que publicada no Registo Federal, a proposta será a um período de discussão pública de 60 dias. A nova regra deve ainda ser aprovada por um tribunal federal.

 

Termos relacionados Internacional
(...)