Está aqui

44.500 estudantes entraram no Ensino Superior, mais de metade na opção preferencial

O número de estudantes colocados na primeira fase de acesso ao Ensino Superior aumentou para 44.500, mais 1,2% do que em 2018. Catarina Martins lembrou que será o primeiro ano com redução de 212 euros nas propinas, “uma vitória de que nos orgulhamos e um caminho a continuar”.
O próximo ano letivo é o primeiro em que as propinas baixam (212 euros)
O próximo ano letivo é o primeiro em que as propinas baixam (212 euros)

Segundo os dados do ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (MCTES), houve 51.036 candidatos dos quais entraram nesta primeira fase 44.500 - 87,2%. 27.280 entraram em universidades e 17.220 em institutos politécnicos, o que significa aumentos de 0,9% e 1,5% respetivamente, face a 2018.

Mais de metade dos alunos (53,1% - 23.625) foram colocados na primeira opção que escolheram, uma percentagem ligeiramente inferior à de 2018 (54,7%). O ministério prevê que em 2019-2020 entrem no ensino superior público 77 mil estudantes.

“Serão cerca de 77 mil o número de novos estudantes no ensino superior público no ano letivo de 2019-2020, incluindo cerca de 68 mil estudantes nos cursos de licenciatura e mestrados integrados e mais de nove mil estudantes em formações curtas de âmbito superior (cursos técnicos superiores profissionais). Estes valores são estimados pela Direção-Geral do Ensino Superior com base nos resultados da primeira fase do Concurso Nacional de Acesso (CNA) e nas estimativas das instituições de ensino superior para as demais vias de ingresso”, referiu o MCTES em comunicado.

Nas regiões com menor pressão demográfica o aumento do número de estudantes colocados foi de 2,6%, tendo a redução do número de estudantes em Lisboa e no Porto apenas de 0,1%.

Segundo o ministério, “o número de estudantes emigrantes colocados aumenta 18% face ao ano anterior. O número de estudantes colocados através deste contingente aumentou 147% desde 2015, a par com a iniciativa ‘Estudar e Investigar em Portugal’”. Quanto ao contingente especial para estudantes com deficiência, foram colocados este ano 224 alunos, mais 21% do que em 2018 e mais 87% do que em 2015.

A segunda fase de candidaturas decorre entre 9 e 20 de setembro e os resultados serão divulgados a 26 de setembro.

Primeiro ano com redução nas propinas

Catarina Martins congratulou-se, na sua página no facebook, com a entrada de mais estudantes, “uma boa notícia” e lembrou que “este vai ser o primeiro ano com a redução de €212 nas propinas”. Frisando que é “uma vitória de que nos orgulhamos e um caminho a continuar”, a coordenadora bloquista aponta necessidades a que é preciso responder na próxima legislatura: “fim das propinas, mais residências universitárias, alargamento das bolsas e melhor ação social escolar”.

 

Termos relacionados Sociedade
(...)