Está aqui

240 manifestantes detidos em Bruxelas

Ativistas e sindicalistas mobilizaram-se esta quinta-feira para o Palácio de Egmont em Bruxelas, numa manifestação contra a “Conferência Europeia dos Negócios” que negoceia o Tratado Transatlântico. Cerca de 240 ativistas foram detidos por ordem de um dirigente do Partido Socialista.
Manifestante detido

Cerca de 240 manifestantes - sindicalistas dos sindicatos belgas CNE e FGTB, estudantes, candidatos ecologistas e da esquerda radical - foram detidos durante uma manifestação pacífica em Bruxelas. Ao chegar ao Palácio de Egmont, onde decorria a “Conferência Europeia dos Negócios”, os manifestantes foram cercados pela polícia – que estava sem identificação – e enviados para as carrinhas de detenção. A ordem de detenção foi dada pelo Presidente do Município de Bruxelas, do Partido Socialista, que invocou a chamada “detenção administrativa” para não ter de justificar essa atitude.

Em declarações ao Esquerda.net, Yiorgos Vassalos, membro dos Comités contra a Austeridade na Europa declarou que “o Presidente do Município de Bruxelas decidiu não tolerar uma manifestação convocada por uma aliança de sindicatos, agricultores e estudantes que se opõe ao Tratado Transatlântico. De forma a não criar incómodos à Conferência Europeia dos Negócios, um evento organizado pelo BusinessEurope que conta com a presença de muitos Comissários Europeus, o Presidente do Múnicipio de Bruxelas ordenou a detenção de 240 manifestantes, entre os quais dirigentes sincidais e parlamentares do Partido os Verdes [Belga]”.

Iremos continuar a mobilizar-nos e temos a certeza que a unidade contra a austeridade e o Tratado Transatlântico irá crescer. Vamos pôr fim a estas políticas desastrosas.

Os manifestantes detidos foram levados para as casernas da polícia belga em Etterbeek. Ativistas demonstram a sua solidariedade ao mobilizarem-se diante da sede do Partido Socialista Belga e das casernas da polícia em Etterbeek. Yiorgos Vassalos afirmou que “iremos continuar a mobilizar-nos e temos a certeza que a unidade contra a austeridade e o Tratado Transatlântico irá crescer. Vamos pôr fim a estas políticas desastrosas.”

A manifestação, organizada pela aliança D19-20, juntou mais de 1000 manifestatens, entre eles agricultores, cidadãos, trabalhadores, precários, desempregados, sindicalistas, ativistas, pessoas dos vários quadrantes da esquerda que se opõem à austeridade e ao Tratado Transatlântico. Durante a manifestação, os participantes exigiam o fim da austeridade e das negociações do Tratado Transatlântico. 

Arrest

Termos relacionados Internacional
(...)