You are here

Biblioteca

O seu aspecto infundia terror às crianças e repulsão aos adultos; não tanto pela sua altura e extraordinária magreza, mas porque a desgraçada tinha um defeito horrível: haviam-lhe extraído o olho esquerdo; a pálpebra descera mirrada, deixando, contudo, junto ao lacrimal, uma fístula continuamente porejante. 

Agitou-se no banco, envolveu-se melhor no dominó, que a noite ia-se pondo fria, e resolveu esperar com resignação. Passou, porém, uma hora, duas, e ela sem aparecer... A inquietação mordeu-lhe novamente a alma... Porque não viria? Onde estaria àquelas horas da noite?...

Levantei-me rapidamente da borda da cama, e, no mesmo instante, o capitão pôs-se também em pé, dando um grito de surpresa. Tinha-me voltado para apanhar a lanterna e examiná-la, quando lhe ouvi a exclamação e em seguida gritar por socorro.

– Pelo sangue de Cristo, sim, mimosa – responde o carmelita, atirando a sra. Rodin ao leito – sim, alma pura, fiz de seu marido um padre, e, enquanto o farsante celebra um mistério divino, apressemo-nos a levar a cabo um profano...

– Então nunca comeram caldo de pedra? Só lhes digo que é uma coisa muito boa.

Responderam-lhe:

– Sempre queremos ver isso.

No cerne do alvoroço alarmado, os socorristas encontraram Joel num sono plácido, exalando como um corpo vivo há muito sem gel de banho exala. Há quanto tempo o vosso amigo está assim? Há um dia e meio, pelo menos... Conto inédito

Eu presenciei o espanta-diabo do princípio ao fim, graças a uma feliz sequência de circunstâncias, e quero descrever tudo para os verdadeiros conhecedores e para os amadores do sério e do elevado, de acordo com o gosto nacional.

Para aqueles que estudam a grande arte de viver na cama, devo de forma enfática incluir uma palavra de cautela: se ficar na cama até tarde, faça isso sem nenhuma justificativa.

Que horas podiam ser? Parecia que eu caminhava havia um tempo infinito, pois as minhas pernas amoleciam debaixo de mim, o meu peito arfava, e eu sofria terrivelmente de fome.

Uma modesta proposta para prevenir que, na Irlanda, as crianças dos pobres sejam um fardo para os pais ou para o país, e para as tornar benéficas para a República.

Pages

Intervenções como a de Dijsselbloem demonstram bem o espírito com que as instituições europeias se regem: pelo preconceito e pela prepotência.

Não imagino que o paradigma da democracia seja deixar os fascistas fazerem a única coisa que os mobiliza e sabem fazer: atacar a democracia e os democratas, na esperança de acabarem com ela e com eles.

Hoje, em Barcelos, quatro testemunhas num processo de violência doméstica foram degoladas pelo agressor que estava a ser julgado por bater com um ferro na família.

Sei bem que as declarações do holandês errante expressam uma opinião que perpassou muitas cabeças durante a mais recente crise económica.

Não estaremos perante um caso de negligência grave do grupo Sapec, com a complacência das autoridades?

Wrapped Reichstag, obra de Christo e Jeanne-Claude em 1995, foto de Wolfgang Volz

Em ano de eleições autárquicas, o Esquerda.net publica um conjunto de textos sobre Cidades e Culturas, dois conceitos centrais para políticas culturais que, no entanto, apresentam diferentes problemas institucionais, económicos, sociais e políticos. 

Biblioteca Nacional por André Kosters - Lusa

A cultura é o que se  serve, sim, mas também é a questão democrática de como se implementa e garante.

Manifestação do Que se Lixe a Troika juntou 400 mil pessoas no Porto. Foto de Estela Silva/Lusa

Que estratégias e mobilizações adoptar para a construção de novas estruturas e instituições democráticas? 

Protesto Indignados em Barcelona, foto de Marta Perez, EPA/Lusa

Reportagem do esquerda.net sobre o debate "Cultura em Comum, o caso de Barcelona", que se realizou este domingo durante o encontro "Que fazer com a cultura?".

O deputado Marcelo Expósito Prieto, deputado espanhol eleito pelo En Comú Podem, envia este contributo para a Conferência sobre políticas municipais de cultura do próximo dia 19 de março.