Está aqui

O Consumismo

A sociedade capitalista manipula as pessoas e os seus padrões de vida, de beleza e até de consumo, não permitindo, a maioria das vezes, o indivíduo ser quem realmente é. Por Clara Moutinho Belbut, estudante do ensino secundário.

O consumismo refere-se a um modo de vida orientado por uma compulsão que leva o indivíduo a comprar de forma ilimitada e sem necessidade, bens, mercadorias e/ou serviços, em geral, supérfluos, em razão do seu significado simbólico (prazer, sucesso, felicidade, etc.), frequentemente atribuído pelos meios de comunicação, o que é comum num sistema dominado pelas preocupações de ordem material. O termo é muitas vezes associado à cultura e produção em massa e à indústria cultural. Não é por acaso que a sociedade de hoje em dia é conhecida como “sociedade de consumo”.

Antes de mais, é importante fixar que um consumidor não age como um consumista, e que existe uma diferença entre o primeiro, que compra as mercadorias e os serviços de que necessita para a sua existência, e o segundo. Um consumista caracteriza-se pelos gastos excessivos em produtos supérfluos, movidos pela propaganda. A necessidade de consumo pode vir a tornar-se uma compulsão, uma patologia comportamental. Muitas pessoas compram compulsivamente coisas de que não precisam. Muitas vezes, furtam ou roubam, não movidas por uma necessidade objetiva mas, sim, pelo desejo de possuir algo cujo significado é essencialmente simbólico.

A sociedade capitalista atual é marcada por uma necessidade intensa de consumo, o que resulta numa maior necessidade de produção, que para atender a esta procura gera cada vez mais empregos, que aumentam o dinheiro disponível na economia e que acaba por ser revertido para o próprio consumo. O excesso de todo este processo leva a uma intensificação da produção e, consequentemente, a um aumento da extração de matérias-primas e do consumo de energia, muitas vezes, de fontes não-renováveis. Para além disso, o amontoo cada vez maior de bens supérfluos leva a nossa sociedade a uma deterioração dos hábitos e dos valores, uma vez que as pessoas se tornam gradualmente escravas do consumo, em detrimento da reflexão crítica, de uma sociedade que privilegie a pessoa e a sua intelectualidade.

O consumismo tem vindo a tornar-se, também, um grande inimigo do meio ambiente. O lixo e outros resíduos gerados pelas embalagens e produtos descartados têm causado grandes problemas ambientais, principalmente nos grandes centros urbanos.

Dentro deste processo (consumista) de ver, desejar, comprar e voltar ao início, forma-se um ciclo vicioso. Se não houver uma consciencialização deste problema, não haverá alteração no descontrolo que se criou e tem vindo a aumentar com o passar dos anos.

Em suma, as relações sociais desvalorizam, assim como a pessoa na sua essência, perante o valor crescente das mercadorias. A sociedade capitalista manipula as pessoas e os seus padrões de vida, de beleza e até de consumo, não permitindo, a maioria das vezes, o indivíduo ser quem realmente é. Desta forma, o ser humano convive diariamente com o fantasma da insatisfação, do consumismo e da alienação.

Clara Mourinho Belbut,

Estudante do Ensino Secundário

Termos relacionados Comunidade

Comentários

Raramente se encontra alguém com uma ideia formada sobre os problemas da sociedade, principalmente sobre o consumismo, este texto, e este raciocínio desta estudante, é realmente esclarecedor, e de uma visão clara dos problemas que a humanidade vive, a sua decadência a todos os níveis, e um futuro pouco animador, eu até diria, péssimo. O consumo normal, para a nossa vida quotidiana é preciso, e já seria suficiente para a economia dos países sobreviver, desde que esta também não tivesse excessos. O consumismo é um exagero desnecessário, bom para as empresas e empresários ficarem exageradamente mais ricos, e os consumistas, cada vez mais pobres, ou na miséria. Conclusão: Ganham e perdem sempre os mesmos, mas quem perde mais com tudo isto, é o planeta, ecologicamente, o que nos está a afetar a todos, mesmo os mais ricos. Mas num mundo em que o dinheiro é mais importante que a vida! O que podemos esperar destas mentes brilhantes humanas? O fim, não é!

Adoro este texto, está simplesmente brilhante e bem conseguido, estando contudo, a tocar à superfície deste flagelo, já demonstra da parte da autora uma grande consciencialização da moderna sociedade ocidental/consumista, que todos deveríamos de pelo menos estar minimamente ciente.
Neste mundo (ocidental), o Homem está cada vez mais arrogante, cínico, fechado e ganancioso, sendo que as "tecnologias" e afins, vão ditando as nossas necessidades e esse avanço, por outro lado, nos faz recuar cada vez mais da nossa essência, naquilo que significa ser um Ser Humano, moral e eticamente falando; dos valores provenientes das coisas simples, de objectivos concretos para a vida sem se preocupar demasiado com a sua imagem ou almejando o que o próximo (supostamente) tem mais que nós. Enquanto o paradigma actual de necessidades se manter, e tão cedo não há de mudar, por estarmos à mercê dos grandes interesses, (capitais privados, bancários, políticos <alguns>, multinacionais...) estaremos a caminhar não só para a nossa própria condenação como a do Planeta. E no dia que esses grandes interesses nos disserem finalmente que temos de mudar de direcção, acreditem, é porque nessa altura já será tarde de mais e a Humanidade certamente estará por um fio...
Por isso temos de lutar, agir, actuar, participar, instruir e educar, acreditar mas também questionar e nunca parar... pois não será esse o significado da nossa passagem por este plano terrestre.

P.s: Outra "epidemia" que não fora referida é a religião (as três principais, visto que considero o Hinduísmo e o Budismo como um principio, um modo de encarar a vida), visto que esta também está bem envolvida no Plano dos Grandes Interesses, como é bem conhecida as teias da Igreja Católica.

Com esse texto esclarecedor pode se ver que com todo esse consumo em que vivemos,a população fica escrava dos mais fortes,prejudicando sua maneira de viver.
Não pensando na poluição do planeta que é gerada com o excesso de fabricação de todos os produtos que consumimos.
Mesmo sabendo que comprando apenas o necessário para nossa existência nos tornamos refém do materialismo onde as pessoas pensam mais em ''TER'' do que ''SER''.
Como mudar essa sociedade consumista?As pessoas formam sua opinião pelos meios de comunicação em massa,devido a isso,não fazem uma leitura da sociedade consumista e,nem delas mesmas.
Somos escravos do capitalismo.Porque há um consumo exagerado feito de excessos desnecessários.
O crescimento da humanidade desenfreado,a propabilidade é de aumentar ainda mais o consumo,causando assim o próprio fim da raça humana e do planeta terra.

Olá Lucier, eu concordo com a sua opinião. Realmente as pessoas de hoje pensam mais em TER do que SER, e isso tem preocupado bastante devido o consumismo ser elevado atualmente. Isto prejudica não somente as pessoas num todo, como também prejudica o meio ambiente. O meu ponto de vista em relação a isso, é justamente o fato das pessoas não se preocuparem com o amanhã. Hoje o País está em crise, e muita gente na maioria das vezes nem se quer sabe oque é CRISE, e toma conta do consumismo, adquirindo coisas desnecessária para o dia a dia, talvez por "status", ou "Eu posso", " Eu tenho".
As pessoas deveriam ter o bom senso e utilizar seu rendimento apenas para coisas necessárias, e claro que não trabalhamos apenas para pagar dívidas ou coisas do tipo, mas também temos que saber controlar a vontade de consumir sem necessidade.

Att, Pablo De Moraes Ribeiro.

Ótimo texto, realmente estamos vivendo um consumismo desenfreado. Na verdade tudo que é exagero não faz bem para o ser humano. Porém, se tratando da humanidade, historicamente falando, sempre houve esta busca insana por mais e mais, quero dizer que isso faz parte da mente humana, a busca pelo o que não possui, ou a busca pelo que o outro tem, e isso faz mal, porém, se direcionarmos isso de uma maneira "ética", podemos trazer benefícios. Tais como, produtos e serviços melhores, consciência pela aquisição de algo, e muita mais que tudo isso, a reflexão sobre o que precisamos. Tanto é verdade, que é o que estamos fazendo aqui, após a publicação deste artigo, discutindo sobre um assunto de extrema importância, e com certeza refletindo e fazendo quem está ao nosso lado fazer o mesmo. Reflexão, e disseminação de ideia e conhecimento.

a
As observações de meus colegas ns quadros acima descrevem sobre meio ambiente em fase destrutiva decrescente, e população viciada em consumo...
as comunidades nos geral, tanto como religiosos como comentou meu colega Nuno Oliveira, os lideres religiosos também usam a má quina do marketing sobre a fé e as ideologias religiosas para fins de consumo. no mercado consumista do capitalismo selvagem, sem educação e egoísta, sim estamos pero de emplodir o planeta, como afirma nossos colegas e destacando ainda a questão do lixo ambiental que provoca acidentes nos níveis saudáveis da natureza.

Adicionar novo comentário