Está aqui

Cantos da Casa

Novembro 8, 2017

Aldina DuarteQuando Se Ama Loucamente, 2017.
Homem em CatarseViagem interior, 2017.
Brigada Victor JaraQuem sai aos seus, 1981.
Luís José MartinsTentos: Invenções e Encantamentos, 2017.
Rão KyaoAventuras da alma, 2017.
Edição nº 266, de 8 de novembro de 2017

Outubro 25, 2017

Omiri ― Baile electrónico, 2017.
Rui Luís ― Parte de alguém, 2017.
Trovante ― Baile no bosque, 1981.
Luís José Martins ― Tentos: Invenções e Encantamentos, 2017.
Paulo de Carvalho ― Duetos, 2017.

Edição nº 265, de 25 de outubro de 2017

 

Outubro 7, 2017

Júlio Pereira ― Praça do Comércio, 2017.
Remexido ― Remexido, 2017.
Vitorino ― Romances, 1981.
Luís José Martins ― Tentos: Invenções e Encantamentos, 2017.
Rua Direita ― Rua Direita, 2017.

Edição nº 264, de 7 de outubro de 2017

Setembro 23, 2017

Retrospectiva de 1981.

José Afonso, Vitorino, Sérgio Godinho, Brigada Vitor Jara, Trovante e outros.

Edição nº 263, de 23 de setembro de 2017

Setembro 10, 2017

Jorge Rivotti ― Lisboa a sete, 2016.
Lado Esquerdo ― Lado Esquerdo, 2017.
Rui Veloso ― Ar de rock, 1980.
José Pedro Coelho ― Clepsydra, 2012.
Nuno Meneses ― Capitão Zequinha, 2016.
Edição nº 262, de 10 de setembro de 2017

Agosto 25, 2017

João Lóio ― Basta imaginar, 2017.
Laurent Filipe ― As (im)prováveis, 2016.
Rão Kyao ― Ao vivo em Cascais, 1980.
Miguel Ângelo ― A vida de X, 2016.
Saga Cega ― À deriva, 2017.
Edição nº 261, de 25 de agosto de 2017

Agosto 12, 2017

Miguel Araújo ― Giesta, 2017.
Há Lobos Sem Ser na Serra ― Cantares do Sul e da utopia, 2016.
Amália Rodrigues ― Gostava de ser quem era, 1980.
Miguel Ângelo ― A vida de X, 2016.
Pedro Barroso ― Artes do futuro, 2017.
Edição nº 260, de 12 de agosto de 2017

Julho 28, 2017

Couple Coffee ― Fausto food, 2017.
Luiz Caracol ― Metade e meia, 2017.
Carlos do Carmo ― Álbum, 1980.
Miguel Ângelo ― A vida de X, 2016.
Travessa do Corrupio ― Resumo, 2017.

Julho 8, 2017

João Lóio ― Basta imaginar, 2017.
Bicho do Mato ― A vingança do Bicho do Mato, 2016.
Paulo de Carvalho ― Até me dava jeito, 1980.
Nuno da Rocha ― Mesmo que faça frio, 2016.
Carina Salvado ― Fado orgânico, 2014.
Edição nº 258, de 8 de julho de 2017

Junho 23, 2017

Ronda dos Quatro Caminhos ― Sopas do Espírito Santo, 2017.
Ricardo Gama & João Correia ― A vida, a alma e a viagem, 2016.
Fernando Tordo ― Cantigas cruzadas, 1980.
Nuno da  Rocha ― Mesmo que faça frio, 2016.
Príncipe ― Príncipe, 2016.

Edição nº 257, de 23 de Junho de 2017

Junho 5, 2017

Lavoisier ― Projecto 675, 2014.
Dulce Pontes ― Peregrinação, 2017.
Luís Cília ― O peso da sombra, 1980.
Nuno da Rocha ― Mesmo que faça frio, 2016.
Rua da Lua ― Rua da Lua, 2016

Edição nº 256, de 4 de junho de 2017

Maio 20, 2017

Né Ladeiras ― Outras vidas, 2017.
Carlos Martins ― Carlos Martins, 2016.
José Barata Moura ― A rumba da bomba, 1980.
Ogaitu ― Ogaitu instrumental, 2017.
Joana Barra Vaz ― Mergulho em Loba, 2016.
Edição nº 255, de 20 de maio de 2017

 

Maio 4, 2017

Paulo Ribeiro ― O céu como tecto e o vento como lençóis, 2017.
GNR ― Os primeiros 35 anos ― Ao vivo, 2017.
Pedro Barroso ― Quem canta seus males espanta, 1980.
Ogaitu ― Ogaitu instrumental, 2017.
Trêsporcento ― Território desconhecido, 2017.
Edição nº 254, de 4 de maio de 2017

Abril 20, 2017

Aníbal Raposo ― Mar de Capelo, 2017.A. P. Braga ― Lisboa 2017, 2017.Afonso Dias ― O que vale a pena, 1980.Ogaitu ― Ogaitu instrumental, 2017.

Luís Severo ― Luís Severo, 2017.

Edição nº 253, de 21 de abril de 2017

Março 31, 2017

Lula Pena ― Archivo pittoresco, 2017.
Caixa de Pandora ― Rota das afinidades, 2016.
Janita Salomé ― Melro, 1980.
Ruy Coelho ― O violino d'Orpheu, 2015.
Um Corpo Estranho ― Pulso, 2016.

Edição nº 252, de 31 de março de 2017

 

Março 17, 2017

Diabo a Sete ― Figura de gente, 2016.
Mão Morta ― Ao vivo no Theatro Circo, 2017.
Terra a Terra ― Dançando, pulirando, 1980.
Ruy Coelho ― O violino d'Orpheu, 2015.
Chico Gouveia ― Moda velha, 2016.

Edição nº 251, de 17 de março de 2017

Março 4, 2017

Osso Vaidoso ― Miopia, 2016.
Susan Palma-Nidel ― Lisboa íntima, 2016.
Chants du blé et cornemuses de berger, 1980.
Ruy Coelho ― O violino d'Orpheu, 2015.
Rita Redshoes ― Her, 2106.

Edição nº 250, de 4 de março de 2017

Fevereiro 18, 2017

As 3 Marias ― Depois, 2017.
Terra Batida ― Falaciosa realidade, 2017.
Adriano Correia de Oliveira ― Cantigas portuguesas, 1980.
Luís de Freitas Branco ― Suite alentejana Nº. 1, 1950.
Pedro e os Lobos ― Este chão que pisamos, 2016.

Edição nº 249, de 18 de fevereiro de 2017

Fevereiro 3, 2017

Francisco Naia ― Nos cantos da memória, 2015.
Myrica Faya ― Do cerne, 2016.
Banda do Casaco ― No jardim da Celeste, 1980.
Luís de Freitas Branco ― Suite alentejana Nº. 1, 1950.
A Cepa Torta ― Amor e outras maleitas, 2013.

Edição nº 248, de 3 de fevereiro de 2017

Janeiro 5, 2017

Afonso Dias ― Andanças & cantorias, 2016.
Teresa Salgueiro ― O horizonte, 2016.
José Afonso ― Fura fura, 1979.
Luís de Freitas Branco ― Suite alentejana nº. 1, 1919.
Alma Rasgada ― Não sou daqui, 2016.
Edição nº 246, de 5 de janeiro de 2017

Dezembro 22, 2016

Señoritas ― Acho que é meu dever não gostar, 2016.
Vox Populi ― O brado da terra, 2016.
Sérgio Godinho ― Campolide, 1979.
Fernando Lopes-Graça ― Marcha festiva, 1954.
Marta Pereira da Costa ― Marta Pereira da Costa, 2016.
Edição nº 245, de 22 de dezembro de 2016

Dezembro 8, 2016

Gisela João ― Nua, 2016.Sebastião Antunes ― Adufe em Lisboa, 2016.Vitorino ― Não há terra que resista ― Contraponto, 1979.Fernando Lopes-Graça ― Poema de Dezembro, 1961.

Rui Massena ― Ensemble, 2016.

Edição nº 244, de 8 de dezembro de 2016

Novembro 23, 2016

Macadame ― Firmamento, 2016.
André Barros ― In between, 2016.
Shila ― Lenga-lengas e segredos, 1979.
Fernando Lopes-Graça ― Suite rústica nº 1, 1950.
Nuno Rodrigues ― Pérolas d'Alma, 2016.

Edição nº 243, de 23 de novembro de 2016

Novembro 2, 2016

Cristina Branco - Menina, 2016. A Caruma - Hóstia de mentol, 2016. Júlio Pereira - Mãos de fada, 1979. Fernando Lopes-Graça - Suite rústica nº 1, 1950. Catarina Pinho - Da raiz do coração, 2016. Edição nº 242, de 2 de novembro de 2016