Está aqui

Breves

Jovens Médicos: Bloco quer concursos abertos 30 dias após conclusão da formação

30 dias após o fim do internato devem ser abertos concursos para a colocação de médicos recém-especialistas no Serviço Nacional de Saúde (SNS). Esta é a pretensão que o Bloco de Esquerda quer tornar obrigatória com um Projeto de Resolução, que esta quinta-feira será entregue na Assembleia da República.

O objetivo do diploma bloquista é evitar atrasos na contratação destes médicos. Recorde-se que desde abril de 2017, 700 médicos especialistas ainda aguardam pelo lançamento de concurso.

Os sindicatos médicos já alertaram que este atraso levou a que 200 jovens médicos tenham optado por trabalhar no privado ou fora do país.

Fotografia da página de Facebook da Ordem dos Arquitetos

Morreu Raul Hestnes Ferreira

12 de Fevereiro 2018

Raul Hestnes Ferreira morreu este domingo, em Lisboa, com 86 anos. O arquiteto, filho do escritor José Gomes Ferreira, projetou, entre outros edifícios, a Casa da Cultura de Beja, a Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa, o novo edifício do ISCTE, a Biblioteca de Marvila e a Casa de Albarraque.

Hestnes Ferreira fez ainda o projeto de renovação do café Martinho da Arcada e a remodelação do Museu de Évora. Esteve entre os finalistas a concurso para a Ópera da Bastilha, em Paris. Entre os projetos habitacionais, contam-se o do bairro das Fonsecas e Calçada, em Alvalade, em Lisboa, criado no âmbito das brigadas SAAL, e o das Cooperativas Unidade do Povo e 25 de Abril, que remonta a 1975.

Recebeu o Prémio Nacional de Arquitectura e Urbanismo, o Prémio Nacional de Arquitetura da antiga associação de arquitetos (anterior à Ordem) e o Prémio Valmor.

Hestnes Ferreira foi também autarca na freguesia de Santa Catarina em Lisboa, eleito como independente pelo Bloco de Esquerda em 2005.

Sindicato dos Jornalistas alerta "falsos recibos verdes" sobre novos contratos

Sindicato dos Jornalistas alerta "falsos recibos verdes" sobre novos contratos

8 de Fevereiro 2018

A direção do Sindicato dos Jornalistas (SJ) emitiu um comunicado, esta quinta-feira, aconselhando “todos os jornalistas em situação de falsos recibos verdes, e que neste momento estejam abrangidos pelo PREVPAP, a não assinarem qualquer contrato apresentado pela RTP”.

Em causa estão os novos contratos que a RTP está a propor a alguns jornalistas a recibos verdes, nos quais estes teriam de abdicar de usar indícios que pudessem comprovar a prestação de trabalho subordinado.

Além disto, a Direção do SJ “já exigiu à Empresa o cabal esclarecimento desta questão e a imediata alteração deste procedimento”.

Itália: Candidato de extrema-direita dispara sobre imigrantes

3 de Fevereiro 2018

O ataque terrorista com motivações racistas causou pelo menos seis feridos na cidade de Macerata. O líder do partido de extrema-direita reagiu sublinhando que a imigração é uma “invasão organizada” que “leva a confrontos sociais”.

De acordo com o jornal Corriere della Sera, quando Luca Traini, que foi candidato da Liga Norte no ano passado, foi preso estava enrolado numa bandeira italiana. Traini fez ainda a saudação fascista ao passar pelo Monumento aos Mortos.

O líder da Liga Norte, Matteo Salvini, reagiu ao ataque contra imigrantes de origem africana sublinhando que “qualquer um que dispare é um delinquente, independentemente da cor da pele". Contudo, Salvini avançou imediatamente que “é claro que a imigração está fora de controlo”. “Uma invasão organizada, desejada e financiada como a que se verificou nos últimos anos leva a confrontos sociais", avançou.

Artigo atualizado às 18h45 de 03.02.2018.

Madeira: Bloco congratula-se com transmissão do plenário em Língua Gestual Portuguesa

29 de Janeiro 2018

Na sequência da aprovação de uma resolução do Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda, a Assembleia Legislativa da Região Autónoma da Madeira vai passar a transmitir todas as sessões plenárias com tradução simultânea para Língua Gestual Portuguesa (LGP).

Saiba mais em: madeira.bloco.org 

Presidenciais em Chipre: Conservador e comunista repetem duelo de há cinco anos

29 de Janeiro 2018

Na 1ª volta das eleições presidenciais cipriotas, que decorreram este domingo, o atual presidente Nicos Anastasiades, do partido conservador DISY, e o independente Stavros Malas, apoiado pelo partido comunista (AKEL), foram os mais votados e irão disputar a ronda decisiva no próximo domingo, dia 4 de fevereiro.

Eis os resultados:

Nicos Anastasiades (DISY, conservador)…………35,5%
Stavros Malas (AKEL, comunista)………………….30,2%
Nikolas Papadopoulos (DIKO, centrista)…………..25,7%
Christos Christou (ELAM, extrema-direita)………….5,7%
Giorgos Lillikas (SYPOL, nacionalista, populista)….2,2%
Outros…………………………………………………...0,7%
Registaram-se 2,4% de votos brancos e nulos.
Por sua vez, a participação eleitoral foi de 71,9%.

Curiosamente, em 2013, o 2º turno opôs os mesmos candidatos. Porém, Anastasiades partiu, então, com maior vantagem (45,5% contra 26,9%), tendo triunfado com 57,5% dos votos, contra os 42,5% de Malas. A posição dos eleitores de Papadopoulos, que, para além do seu partido, teve o apoio dos social-democratas do EDEK e pelos nacional-conservadores do Movimento Solidariedade (KA).

Sendo Chipre uma república presidencialista, estas eleições são fundamentais para definir as grandes opções políticas do país para os próximos cinco anos.

Foto de @emergency_ong.

Novo atentado em Cabul causou a morte de pelo menos 63 pessoas

27 de Janeiro 2018

Num atentado reivindicado pelos Talibã, na manhã deste sábado, um bombista suicida fez explodir uma ambulância, no centro da capital afegã. “É um massacre”, disse à Reuters Dejan Panic, coordenador afegão do Emergency, grupo italiano de ajuda humanitária que opera nas imediações da zona da explosão.

Segundo o Ministério da Saúde do Afeganistão, citado pela imprensa internacional, o número de morto pode subir. O Emergency refere, na sua conta do Twitter, que já chegaram 171 feridos, ao seu ponto de urgência hospitalar. As autoridades afegãs dizem que a explosão ocorreu num ponto de controlo da polícia, numa zona de edifícios governamentais e de embaixadas, como o Ministério do Interior e a delegação da União Europeia (UE) no Afeganistão.

Os alertas de segurança tinham sido reforçados nos últimos dias. Há cerca de uma semana, um outro atentado atingiu o Hotel Intercontinental, causando a morte a mais de 30 pessoas.

Governo da Colômbia cancelou as touradas no país e pediu ao parlamento que debata um projeto para acabar com as corridas de touros

Colômbia quer acabar com as touradas

21 de Janeiro 2018

O governo da Colômbia cancelou as touradas no país e pediu ao parlamento que debata um projeto para acabar com as corridas de touros. O ministério do Interior colombiano afirma que "tudo indica que a festa brava se está a extinguir por decisões judiciais e por uma mudança da cultura urbana".

Segundo a Lusa, o ministério pediu que as manifestações contra a festa brava "se façam de forma organizada e pacífica".

A Colômbia é um dos oito países no mundo onde são permitidas as corridas de touros.

Timor-Leste: Tribunal tira Davide Justino da prisão preventiva

16 de Janeiro 2018

O português acusado de ajudar o casal Tiago e Fong Fong Guerra a sair de Timor Leste foi libertado por decisão do tribunal que alterou a medida de coação aplicada a si e a um cidadão timorense, Natalino Varia. Davide Damião Justino estava preso desde dezembro e sempre negou todas as acusações. A sua transferência para o bloco prisional dos reclusos condenados e a violência de que foi vítima nos primeiros dias de detenção levaram familiares e amigos a alertar o governo português para a sua situação e para a falta de empenho da representação diplomática em Díli. No início do mês, o deputado José Manuel Pureza questionou o Ministério dos Negócios Estrangeiros, instando o governo a fazer diligências para “garantir que todos os direitos fundamentais deste cidadão português foram e serão respeitados”.

Autarca do Funchal recusa responder ao parlamento regional

16 de Janeiro 2018

O presidente da Câmara do Funchal voltou a recusar estar presente na audição parlamentar sobre a tragédia do Monte, em que morreram 13 pessoas devido à queda de uma árvore durante as festas religiosas. Paulo Cafôfo alega que o tema está a ser instrumentalizado politicamente e rejeita “qualquer agenda partidária sem regras, sem respeito e sem limites procure fazer aproveitamento duma situação tão trágica, desrespeitando as vítimas da tragédia, enquanto procura interferir na acção da Justiça”. Em declarações ao esquerda.net, o deputado regional Roberto Almada, afirmou que “não obstante o facto dos executivos camarários serem fiscalizados, nos termos da Lei, pelas respetivas Assembleias Municipais, o Bloco considera que o Presidente da Câmara do Funchal deveria ter ido ao parlamento madeirense prestar todos os esclarecimentos suscitados pelos deputados. Não nos revemos na sistemática recusa em prestar esclarecimentos perante o primeiro órgão de governo próprio da região, um desrespeito pelo principal órgão da autonomia".

"PSD deve vender a alma ao diabo para pôr a esquerda na rua"

Ferreira Leite: "PSD deve vender a alma ao diabo para pôr a esquerda na rua"

15 de Janeiro 2018

Depois de Rui Rio o ter afirmado durante a campanha eleitoral interna, Manuela Ferreira Leite defende que o PSD deverá viabilizar um governo do PS e tudo fazer para afastar o Bloco de Esquerda e o PCP.

Em entrevista à TSF, esta segunda-feira, Ferreira Leite comentou a recente vitória de Rui Rio sobre Santana Lopes, na presidência do PSD, e também as suas declarações sobre a viabilização de um futuro governo do PS, caso o partido venha a perder as próximas eleições legislativas. A antiga presidente do PSD elogiou Rio por este ter sido claro nos objetivos do partido: "Da mesma forma que o Bloco de Esquerda e o PCP têm vendido a alma ao diabo, exclusivamente com o objetivo de pôr a direita na rua, eu acho que ao PSD lhe fica muito bem se vender a alma ao diabo para pôr a esquerda na rua".

Confrontada pelos jornalistas com estas declarações, Catarina Martins respondeu que “somos um país ainda muito desigual, com problemas no SNS, com pensões ainda muito baixas, salários muito desiguais e muita precariedade; mas, há uma coisa que sabemos, o país está melhor desde que foi possível uma solução diferente do empobrecimento quotidiano que a direita prometia”.

Páginas