Está aqui

Breves

Diana Andringa

Diana Andringa entre as distinguidas com o prémio Maria Isabel Barreno

O prémio de mérito foi entregue na terça-feira pelo governo a cinco autoras da cultura portuguesa: a soprano Elisabete Matos, a atriz Cristina Paiva, a pintora Paula Rego, a encenadora Mónica Calle e a jornalista Diana Andringa, que o dedicou a "todos os jornalistas que consideram que fazer jornalismo é uma forma de intervir na cultura e na cidadania e não criar conteúdos nem encher chouriços”.

Presidente do PSD desde 2010, anunciou esta terça-feira que não se recandidata à liderança do partido. Foto de Estela Silva/Lusa

Passos Coelho não se recandidata à liderança do PSD

3 de Outubro 2017

Na reunião da Comissão Política Nacional do PSD, esta quarta-feira, Pedro Passos Coelho anunciou que não se iria recandidatar e reafirmou que não se demite. Porém, proferiu um discurso de despedida e sugeriu a antecipação do congresso e das eleições internas.

Assumindo que foi surpreendido pelo "pesado" resultado do seu partido, nas eleiçoes autárquicas deste domingo, Passos Coelho considerou que estes “também responsabilizam e penalizam a direção nacional”. “O partido não ficará em gestão, mas como não saio ileso, não deixo de tirar consequências para o futuro e essa consequência exprime-se na decisão de não me recandidatar”, disse, confirmando a decisão já anunciada esta tarde, à Comissão Política Nacional.

Depois de longos minutos a defender a necessidade de uma nova liderança para o partido, em tom de despedida, Passos Coelho também disse que não andará por aí a “rondar” nem a “assombrar”. Contudo, também não se vai “calar para sempre”. O líder mantém-se em funções e “não deixa o partido em gestão”, ou seja, não se demite, mas sugere eleições internas já daqui a dois meses. Neste tempo de transição, lançou dois nomes: Paulo Rangel, eurodeputado e vice-presidente do Partido Popular Europeu, e Hugo Soares, líder parlamentar.

Entretanto, Pedro Santana Lopes confessou estar a ponderar candidatar-se à liderança do partido, no habitual espaço de debate na SIC Notícias, na noite desta quarta-feira.

Bloco prevê “reforço substantivo” na representação autárquica

1 de Outubro 2017

Numa curta declaração à imprensa (ver vídeo) para comentar as projeções divulgadas pelos canais televisivos, Mariana Mortágua destacou a eleição de Ricardo Robles em Lisboa. “Os sinais que temos recebido do país apontam para um reforço substantivo da representação autárquica do Bloco de Esquerda”, acrescentou a deputada bloquista.

Como e onde votar hoje?

1 de Outubro 2017

Para saber o local de voto, número de eleitor e freguesia ou distrito consular a que pertence, qualquer eleitor recenseado poderá utilizar a página www.recenseamento.mai.gov.pt, bastando inserir o número de identificação civil (constante no Bilhete de Identidade ou Cartão de Cidadão) e Data de Nascimento. 

Se sabe o seu número de eleitor e freguesia onde se encontra recenseado, a Comissão Nacional de Eleições indica o local exato (rua ou edifício) e a secção em que vota.  

No local de voto, necessita apenas de ter consigo o Bilhete de Identidade ou Cartão de Cidadão. 

 

Polícia espanhola cria hashtag de mobilização contra a Catalunha

30 de Setembro 2017

A conta de Twitter do Ministério do Interior do governo espanhol criou a hashtag #EstamosporTI, com o propósito de agregar informação oficial sobre o referendo 1-O. Serve também a função de comprometer as forças de segurança na luta política contra a Catalunha, mobilizando o público nacionalista espanhol, o que representa mais um passo na guerra informática que o governo de Mariano Rajoy está a mover contra a Generalitat da Catalunha. 

Na sua primeira mensagem dedicada à hashtag, a Polícia Nacional declara "porque todos somos um, porque todos somos Espanha, pela nossa Democracia, pela legalidade...".

 

Eleições na Alemanha, previsão da televisão pública ZDF

Alemanha: Merkel vence eleições

24 de Setembro 2017

Sondagem no encerramento das urnas prevê que CDU de Merkel ganha as eleições, seguido de SPD e do partido de extrema-direita AfD. Die Linke deverá obter cerca de 9%. Martin Schulz, líder do SPD, recusa coligação com a CDU e deverá passar à oposição.

Segundo a previsão da televisão pública ZDF com sondagem à boca das urnas, a CDU de Angela Merkel ganha as eleições com um resultado entre 32,5% e 33,5%, seguida pelo SPD com 20% a 21% e, em terceiro lugar, o partido de extrema-direita AfD, que entra pela primeira vez no parlamento federal alemão com entre 13% e 13,5%. O partido de esquerda Die Linke deverá ter 9%, enquanto os liberais do FDP terão 9,9% e os Verdes 9,4%.

 

Eleições para a CT da Autoeuropa são a 3 de outubro de 2017

Autoeuropa: Seis listas concorrem para a CT

22 de Setembro 2017

Segundo a agência Lusa, Fernando Sequeira, atual coordenador da Comissão de Trabalhadores (CT), declarou: "Há seis listas candidatas, uma afeta à UGT, outra à CGTP e quatro listas de independendentes, ou seja, de trabalhadores que não estão vinculados ao movimento sindical". O período de entrega de listas terminou nesta sexta-feira, 22 de setembro, e as eleições realizam-se a 3 de outubro.

As eleições realizam-se depois da demissão da maioria da atual CT, após a rejeição pelos trabalhadores, em referendo, do pré-acordo estabelecido entre a administração e o órgão representativo dos trabalhadores.

Uber perde a licença para operar em Londres

22 de Setembro 2017

A Uber pediu uma renovação da licença para operar o seu serviço de transporte individual em Londres, pedido que foi recusado porque a empresa não foi considerada um operador “adequado” [not fit and proper] pela autoridade de transportes de Londres [Transport of London]. 

A licença atual expira no dia 30 de setembro mas a Uber tem 21 dias para apresentar um recurso e poderá operar até o processo de análise terminar. 

Segundo a Transport of London, recusaram a licença porque “a filosofia e conduta da Uber demonstram uma ausência de responsabilidade empresarial” em relação ao reporte de ofensas criminais, bem como na obtenção de certificados médicos e outros assuntos relacionados. 

Autarquias Livres de Petróleo

Autarquias Livres de Petróleo apresenta mapa com posição das candidaturas

21 de Setembro 2017

A campanha, lançada no passado mês de junho, juntou quase 20 organizações da sociedade civil para “tirar o assunto a limpo”, pedindo uma tomada de posição clara e sem ambiguidade a todas as candidaturas.

As organizações contactaram as candidaturas e pediram um compromisso escrito contra a prospeção e exploração de petróleo e gás no seu município. As respostas recebidas foram registadas num mapa, que já está disponível no site da campanha.

Nesta sessão, que terá lugar no Hostel Allmar (junto à igreja matriz, em Sines), pelas 16h, serão apresentados os resultados finais da campanha.

As organizações envolvidas são as seguintes: Alentejo Litoral pelo Ambiente, ASMAA, A Nossa Terra, Climáximo, Coletivo Clima, GAIA, GEOTA, Hidrosfera, Marinha Grande Livre de Petróleo, Não ao Fracking Aljezur, Peniche Livre de Petróleo, Plataforma Algarve Livre de Petróleo, Porto sem OGM, SCIAENA, Stop Fracking Vila do Bispo, Tamera, Tavira em Transição e Zero.

Camp Nou - estádio do Barcelona

FC Barcelona defende referendo catalão

20 de Setembro 2017

FC Barcelona tomou posição, nesta quarta-feira 20 de setembro, em “defesa do país, da democracia, da liberdade de expressão e do direito a decidir” e condenando “qualquer ação que possa impedir o pleno exercício destes direitos”.

O clube “manifesta publicamente o seu apoio a todas as pessoas, entidades e instituições que trabalham para garantir estes direitos” e declara que “continuará a apoiar a vontade da maioria do povo da Catalunha, expressada sempre de uma forma cívica, pacífica e exemplar”.

 

Casa ocupada para defender o direito à habitação em Lisboa

Casa ocupada para defender o direito à habitação em Lisboa

16 de Setembro 2017

“A cidade é de quem a ocupa”, lê-se na faixa que foi colocada na fachada de um prédio ocupado, esta sexta-feira, pela Assembleia de Ocupação de Lisboa (AOLX). Para este domingo, está marcada uma primeira assembleia, para se decidir que rumo dar ao espaço que fica no número 69, da Rua Marques da Silva.

Trata-se de um protesto contra o avanço da “especulação imobiliária” que tem contribuído para o aumento das rendas e do preço das casas e “empurrado as pessoas para fora da cidade”. A ideia é transformar este espaço desocupado num local “aberto à comunidade”, explicou João Teixeira, ao jornal Público.

O objetivo é criar “um espaço social em que toda a gente é bem-vinda”, que será aberto a debates, conversas sobre a cidade e as suas transformações. A finalidade de cada fração está ainda em aberto, “mas será sempre um espaço comunitário”, disse João Teixeira, que falou pelo grupo.

Páginas