Está aqui

Catarina Martins

Coordenadora do Bloco de Esquerda. Deputada. Atriz.

Artigos do Autor(a)

15 de Abril, 2015 - 15:49h

O tiquetaque que ouvem é o da crise demográfica que está a minar o presente de centenas de milhares de famílias e o futuro do país.

24 de Março, 2015 - 00:06h

Os tropeções e engasgos do PS, quando o debate chega às decisões que contam, não são azares. São as opções políticas de fundo.

16 de Fevereiro, 2015 - 12:19h

Desde 25 de janeiro, data em que, na Grécia, foi eleito o primeiro governo anti-austeridade da zona euro, a política voltou aonde nunca devia ter saído: decisão e democracia.

28 de Janeiro, 2015 - 16:23h

Aproveitar o virar de página, começado em Atenas, deve ser o compromisso mínimo de todas as forças progressistas que não se revêm, ou não se podem rever, na cegueira da austeridade.

23 de Outubro, 2014 - 22:30h

A ética social na austeridade e a proteção das famílias, de que tanto se vangloria a maioria de direita, é um vazio e indigno instrumento de propaganda.

20 de Outubro, 2014 - 13:56h

As promessas do Governo de um novo ciclo pós-troika são desmentidas pela proposta de Orçamento do Estado para 2015. Mantêm-se cortes em salários e pensões. O investimento continua no zero e são postas em causa as mais básicas funções do Estado.

1 de Outubro, 2014 - 16:42h

Hoje, dia mundial da música, o Conservatório de Música de Lisboa mostrou o melhor de si frente ao Ministério da Educação. À música junta-se o grito: Queremos aulas. Quem diria que em Portugal, em 2014, alunos e alunas teriam de vir para a rua gritar: Queremos aulas.

6 de Agosto, 2014 - 23:50h

Será que um banco que hoje vale pouco mais de 500 milhões de euros, vai ser vendido por 5 mil milhões e assim pagar o que deve ao Estado? Será que não descobriremos novas faturas para os contribuintes no “banco mau”? Não irá esta história repetir-se mais vezes?

19 de Junho, 2014 - 15:43h

O Governo e as autarquias chamam-lhes Contratos Emprego Inserção. Três palavras para três mentiras. Não são contratos porque não há qualquer vínculo. Não são emprego porque não pressupõem salário. Não são inserção porque nunca são inseridos nos quadros.

14 de Abril, 2014 - 14:21h

Hoje sabemos que para este governo há algo que ainda vale menos que as pensões: a sua própria palavra.

Páginas