Está aqui

António Chora

Dirigente do Bloco de Esquerda. Coordenador da CT da Volkswagen AutoEuropa. Deputado municipal no concelho da Moita.

Artigos do Autor(a)

14 de Novembro, 2013 - 13:46h

A Troika, ao mesmo tempo que diz que o excesso de austeridade é mau para a economia, exige da coligação de direita/extrema direita nacional o contínuo aumento da mesma em Portugal.

1 de Junho, 2012 - 00:25h

A crise do sector automóvel é hoje essencialmente europeia. Aos trabalhadores não basta lamentarem-se, é necessário apresentar alternativas.

9 de Abril, 2012 - 09:33h

O Governo, qual quadrilha, em reunião secreta decidiu suspender as reformas antecipadas para todos os que tiverem mais de 57 anos de idade e no mínimo 30 anos de descontos, decisão secretamente aceite e publicada pelo chefe.

29 de Março, 2012 - 00:10h

Os portugueses têm todo o direito de esperar os seus governantes onde quer que estes vão e gritar-lhes aos ouvidos “deixem de nos roubar”.

10 de Fevereiro, 2012 - 12:15h

Um povo conformado não altera políticas, um povo indignado pode fazer muito, e no momento certo, por si mesmo.

1 de Janeiro, 2012 - 00:33h

Os trabalhadores já provaram ser possível aumentar a produtividade sem aumentar horários, demonstraram pelo que produzem e nas condições e qualidade com que o fazem, que merecem as férias, os dias adicionais e as outras regalias que tem.

7 de Novembro, 2011 - 00:32h

Apercebo-me que a estratégia de levar as pessoas a verem como uma inevitabilidade as medidas governamentais, está a confundi-las.

31 de Julho, 2011 - 01:17h

Por desconhecimento de uns, (o que suponho seja o caso de Mário Crespo) ou por maldade de outros (neoliberais, de direita ou da Terceira-Via), é sempre dito que o desemprego seria menor se as indemnizações por despedimento fossem mais baixas.

20 de Julho, 2011 - 03:30h

O Governo vem com o objectivo de privatizar tudo o que dê lucro, nacionalizar os prejuízos bancários bem como os nossos salários.

23 de Abril, 2011 - 00:17h

Os representantes do patronato nacional, da indústria à agricultura passando pelo comércio, querem ganhar na secretaria aquilo que, fruto das lutas dos trabalhadores, não conseguiram impor nos códigos de trabalho ou na concertação social.

Páginas