Está aqui

Trabalhadores de banco chinês vergastados por "falta de motivação"

Trabalhadores de um banco chinês foram vergastados devido à “má prestação” durante um treino no âmbito de uma ação motivacional levado a cabo pela instituição. A outros foi-lhes rapado o cabelo.

Na China, oito trabalhadores do Changzhi Zhangze Rural Commercial Bank foram vergastados como consequência da sua alegada má prestação durante um treino motivacional.

Esta situação ocorreu durante um exercício de atividades de consolidação de espírito de equipa e conduziu já à suspensão de dois executivos daquele banco, situado na província de Shanxi, no norte do país, de acordo com uma notícia veiculada pelo jornal Público.

De acordo com a imprensa local chinesa, quatro homens e quatro mulheres foram castigados por terem ficado em último lugar numa competição. Uma das mulheres ainda se tentou proteger com as mãos após a terceira ronda, mas recebeu ordens para as retirar.

A situação foi denunciada através de um vídeo que foi gravado com um telemóvel e partilhada depois na edição de segunda feira pelo jornal chinês People's Daily .

As imagens mostram os oito empregados em cima de um palco, parados, enquanto um homem lhes bate, alternadamente, com algo que se assemelha a um bastão de madeira.

Castigos são recorrentes

O “homem do bastão” é Jiang Yang, um motivador dos recursos humanos de empresas que, segundo os orgãos de informação chineses, recebe cerca de 13 mil euros pela prestação destes “treinos de motivação”. Yang já pediu desculpas pelo comportamento, mas defendeu que esta é uma técnica que usa há bastante tempo.

Nesta ação houve ainda outros funcionários alegadamente com baixo desempenho profissional a quem foi cortado o cabelo.

Refira-se que os castigos corporais são proibidos na China desde 1986, mas esta não deverá ser uma situação inédita uma vez que a prática de castigos continua a ser recorrente, fundamentalmente nas áreas rurais do país.

De acordo com a revista norte-americana The Atlantic, nos últimos dias, alguns internautas denunciaram experiências idênticas tendo relatado que muitos trabalhadores já foram obrigados a comer ovos crus ou a fazer flexões.

A BBC revelou que a empresa que regula o banco emitiu um comunicado onde refere que “a situação está a ser investigada e o banco está a estudar formas de ajudar os empregados a obterem uma compensação por parte da empresa”.

Video shows China bank employees being spanked

Termos relacionados Internacional

Adicionar novo comentário