Está aqui

Teixeira Lopes: Rui Moreira e Manuel Pizarro têm contas a prestar ao Porto

O candidato do Bloco de Esquerda à Câmara do Porto lembrou que o executivo municipal aumentou as rendas a mais de 5.000 famílias, contra a lei aprovada por Bloco de Esquerda, PCP e PS.
João Teixeira Lopes lembrou que o executivo municipal aumentou as rendas a mais de 5.000 famílias, contra a lei aprovada por Bloco de Esquerda, PCP e PS – foto de esquerda.net
João Teixeira Lopes lembrou que o executivo municipal aumentou as rendas a mais de 5.000 famílias, contra a lei aprovada por Bloco de Esquerda, PCP e PS – foto de esquerda.net

No comício, que decorreu na tarde deste sábado na Praça dos Poveiros no Porto, intervieram Alexandra Oliveira, Silvestre Pereira, João Teixeira Lopes e Catarina Martins.

Na sua intervenção, o candidato bloquista à Câmara do Porto afirmou que Rui Moreira e Manuel Pizarro “têm de responder às pessoas dos bairros do Regado, Cerco e Aldoar e de muitos outros, onde mais de 5.000 famílias viram as suas rendas aumentadas contra a lei aprovada por Bloco de Esquerda, PCP e PS, lei que foi aprovada pelo próprio PS com os votos do Bloco e do PCP e que, no Porto, foi rasgada por Pizarro”.

Segundo a agência Lusa, João Teixeira Lopes sublinhou que Rui Moreira e Manuel Pizarro “têm de responder” aos milhares de pessoas que têm medo de abrir a caixa de correio e receber uma ordem de despejo ou que têm medo de abrir a porta por temer ver “mais um ganancioso advogado” a representar os “super proprietários” dos prédios.

A “avalanche de especulação em que a cidade se tornou é uma ameaça à vida de todos, ao planeamento da vida de todos e à possibilidade de todos terem segurança, estabilidade e tempo para amigos e familiares”, acusou o candidato.

Teixeira Lopes frisou também que “Manuel Pizarro e Rui Moreira têm de responder porque gastaram milhões na política de parcerias público-privadas ou concessões” e criticou: “Veja-se como está o lixo na cidade, veja-se como a cidade está suja, veja-se o que aconteceu ao estacionamento com o atual modelo de concessão”.

“Há um cinismo patente no discurso de Rui Moreira, quebra-se-lhe o verniz todos os dias e vê-se bem quem está por detrás dessa mascara”, criticou também o candidato bloquista, acrescentando que “Manuel Pizarro parece ter-se especializado em poliamor, ora faz juras a Moreira para, logo a seguir, dizer que o anel era de vidro enquanto escreve a próxima carta perfumada sabe-se lá a quem, se há coisa que o Porto não gosta é de cata-ventos”.

Na sua intervenção, a coordenadora do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, apontou que João Teixeira Lopes "levantou temas difíceis nos debates desta campanha", tendo levado Rui Moreira, a ficar "muito incomodado" com as questões relacionadas com a Selminho.

"Rui Moreira que não se engane. A transparência para o Bloco é um assunto muito sério", realçou Catarina Martins.

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Autárquicas 2017, Política

Adicionar novo comentário