Está aqui

Reitor da UBI protesta contra “garrote orçamental”

António Fidalgo reuniu com o deputado bloquista Luís Monteiro e explicou a razão de não ter submetido ao governo o orçamento da Universidade da Beira Interior para 2018.
António Fidalgo e Luís Monteiro após a reunião realizada na Assembleia da República. Foto esquerda.net

O reitor da Universidade da Beira Interior esteve reunido esta quarta-feira com o grupo parlamentar do Bloco de Esquerda para expôr as razões que o fizeram não submeter o orçamento da instituição para 2018 e apelar ao parlamento que corrija uma “situação injusta que as sucessivas tutelas governamentais não têm querido resolver, ou não têm sido capazes de o fazer”.

Face à ausência de respostas por parte do governo, o momento para corrigir este “garrote orçamental” é no debate para o Orçamento do Estado, defende o reitor António Fidalgo.

No discurso de tomada de posse para o segundo mandato, o reitor já tinha alertado que a dotação orçamental atribuída à UBI não foi suficiente sequer para cobrir as despesas com pessoal.

Para o deputado bloquista Luís Monteiro, é evidente que “o grave problema de subfinanciamento do setor atirou esta Instituição para uma situação alarmante”.

“Da parte do Bloco há um compromisso: lutar para que o Orçamento do Estado para 2018 seja um instrumento de coesão territorial e social e que combata o subfinanciamento do setor”, garantiu o deputado

Termos relacionados Política

Adicionar novo comentário