Está aqui

Parlamento condena perseguição da população LGBT na Chechénia 

O voto, apresentado pelo Bloco de Esquerda, foi aprovado com os favoráveis de todas as bancadas exceto o PCP que se absteve. 
Manifestação contra a perseguição homofónica na Chechénia
Manifestação contra a perseguição homofónica na Chechénia
A Assembleia da República aprovou hoje um voto de condenação apresentado pelo Bloco de Esquerda “pela perseguição da população LGBT na República de Chechénia” (em anexo). Foi aprovado com os votos favoráveis de todas as bancadas, e a abstenção do PCP. 
 
No texto, pode ler-se que “segundo relatos de vítimas e denúncias de grupos russos de defesa dos direitos humanos, dezenas de homossexuais foram detidos e mantidos em cativeiro num antigo quartel militar na cidade chechena de Argun, onde são torturados por espancamento e com recurso a choques elétricos. Até à data, foram registadas três mortes."
 

Segundo a Amnistia Internacional, o "clima de intolerância e homofobia prevalecente na Tchetchénia é encorajado pelas próprias autoridades da república russa", adiantando que "os chamados crimes de honra - crimes com motivos discriminatórios - são praticados por todo o Norte do Cáucaso, em especial na Chechénia, com total impunidade”.

Em Portugal, a manifestação contra a perseguição homofónica na Chechénia reuniu milhares de pessoas junto à embaixada da Rússia, em Lisboa. 

 

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Política

Comentários

Adicionar novo comentário